Governo do Ceará terá novo operador de crédito externo

O Credit Suisse será o novo operador de crédito externo do Governo do Estado do Ceará. A decisão substitui a instituição que ganhou a licitação, o Deutsche Bank. A justificativa para convocar o Credit Suisse, de acordo com secretário da Fazenda do Estado, Mauro Benevides Filho, seria porque o Deutsch Bank apresentou dificuldades financeiras e não poderia cumprir com o contrato previamente acertado com o governo

O Credit Suisse será o novo operador de crédito externo do Governo do Estado do Ceará. A decisão substitui a instituição que ganhou a licitação, o Deutsche Bank. A justificativa para convocar o Credit Suisse, de acordo com secretário da Fazenda do Estado, Mauro Benevides Filho, seria porque o Deutsch Bank apresentou dificuldades financeiras e não poderia cumprir com o contrato previamente acertado com o governo
O Credit Suisse será o novo operador de crédito externo do Governo do Estado do Ceará. A decisão substitui a instituição que ganhou a licitação, o Deutsche Bank. A justificativa para convocar o Credit Suisse, de acordo com secretário da Fazenda do Estado, Mauro Benevides Filho, seria porque o Deutsch Bank apresentou dificuldades financeiras e não poderia cumprir com o contrato previamente acertado com o governo (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - O Credit Suisse, banco suíço de investimento, será o novo operador de crédito externo do Governo do Estado do Ceará, conforme aprovou na última terça-feira (11) a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa. A decisão substitui a instituição que ganhou a licitação, o Deutsche Bank.

"Essa operação de crédito externo é para manter a capacidade de investimento do Tesouro Estadual", explicou o secretário da Fazenda do Estado, Mauro Benevides Filho. A justificativa para convocar o Credit Suisse, de acordo com o titular da Sefaz, seria porque o Deutsch Bank apresentou dificuldades financeiras e não poderia cumprir com o contrato previamente acertado com o governo.

O secretário Mauro Filho garantiu ainda que as condições acertadas com o vencedor da disputa foram mantidas, e o Credit Suisse deverá assumir o contrato de US$ 350 milhões, com carência de pagamento de três anos e mais sete anos para pagar a dívida.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247