Governo e MTST no Ceará negociam mil moradias

A prefeitura de Maracanaú e o governo do estado se comprometeram a atender pelo menos 600 famílias no Residencial Orgulho do Ceará, localizado na cidade e que está em construção. Mais 400 unidades serão concedidas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida – Entidades. O governo do estado media a habilitação da coordenação regional do MTST com o Ministério das Cidades

Bras�lia - Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), fazem manifesta��o em frente na port�ria do canteiro de obras do Est�dio Nacional de Bras�lia Man� Garrincha
Bras�lia - Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), fazem manifesta��o em frente na port�ria do canteiro de obras do Est�dio Nacional de Bras�lia Man� Garrincha (Foto: Renata Paiva)

Ceará 247 - Após cerca de 150 famílias serem ameaçadas por homens armados e retiradas de um terreno particular no bairro Pajuçara, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, lideranças do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) negociaram nessa segunda-feira, 30, a concessão de mil moradias para famílias do movimento.

Em reunião com representantes da Secretaria de Cidades do Ceará, da Comissão de Mediação de Conflitos Fundiários Urbanos (vinculada à Presidência da República) e da prefeitura de Maracanaú, ficaram detalhadas as formas como as casas serão concedidas às famílias. O movimento também promoveu um ato na cidade, na manhã de ontem.

A prefeitura de Maracanaú e o governo do estado se comprometeram a atender pelo menos 600 famílias no Residencial Orgulho do Ceará, localizado na cidade e que está em construção. Mais 400 unidades serão concedidas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida – Entidades. O governo do estado media a habilitação da coordenação regional do MTST com o Ministério das Cidades.

Um novo encontro está previsto para o dia 7 de abril e deve ter um representante do ministério. Nessa modalidade, as entidades são responsáveis pela seleção das famílias e por apresentar uma proposta para a construção de moradias, que são analisadas pelos órgãos envolvidos no Programa Minha Casa, Minha Vida.

As famílias que foram obrigadas a sair do terreno na última sexta-feira (27) continuam ocupando uma creche em obras em Maracanaú. As lideranças do MTST solicitaram à prefeitura a cessão de um terreno para construírem barracas e, assim, saírem do prédio. Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, a administração municipal está em busca desse espaço e também avalia cadastrar as famílias no programa de aluguel social. 

Com EBC

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247