Governo não paga aluguel de delegacia

O Governo do Estado de Alagoas não paga o aluguel do prédio da delegacia de Cajueiro há quatro meses. O proprietário do imóvel, Paulo Jorge dos Santos, diz que vai procurar a Justiça. Assessoria da Polícia Civil explica que o motivo do atraso foram as mudanças na gestão da Polícia e o fechamento do sistema financeiro do Estado (Siafem)

O Governo do Estado de Alagoas não paga o aluguel do prédio da delegacia de Cajueiro há quatro meses. O proprietário do imóvel, Paulo Jorge dos Santos, diz que vai procurar a Justiça. Assessoria da Polícia Civil explica que o motivo do atraso foram as mudanças na gestão da Polícia e o fechamento do sistema financeiro do Estado (Siafem)
O Governo do Estado de Alagoas não paga o aluguel do prédio da delegacia de Cajueiro há quatro meses. O proprietário do imóvel, Paulo Jorge dos Santos, diz que vai procurar a Justiça. Assessoria da Polícia Civil explica que o motivo do atraso foram as mudanças na gestão da Polícia e o fechamento do sistema financeiro do Estado (Siafem) (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - O governo do Estado está sem pagar, desde o final do ano passado, o aluguel do prédio onde funciona a delegacia de Cajueiro, conforme informou o proprietário do imóvel, Paulo Jorge dos Santos. De acordo com ele, o contrato com o Estado expirou em agosto do ano passado, mas foi renovado automaticamente, mesmo sem haver interesse por parte do locatário.

Por conta da falta de pagamento, o dono do imóvel afirma que vai procurar a Justiça para entrar com uma ação contra o poder público. O valor mensal de R$ 500 está sem ser quitado desde novembro de 2013.

"Eles afirmam que o pagamento não foi efetuado por conta do fechamento do Siafem e pedem que eu tenha paciência, mas como vou ter paciência se estou com o aluguel do meu imóvel atrasado desde novembro do ano passado?", desabafa Paulo Jorge.

Em agosto de 2013, quando o contrato de um ano com o governo expirou, Paulo diz ter procurado Polícia Civil para informar que não gostaria de renovar o acordo, já que ele pretendia vender o imóvel, mas foi informado que o contrato seria renovado automaticamente, e que a estrutura da delegacia só poderia sair do local quando a reforma do prédio original da instituição fosse concluída.

"Vou procurar um advogado para entrar com uma ação contra o estado, porque preciso resolver essa situação", afirmou.

Paulo Jorge disse ainda ter sido comunicado que a conclusão da reforma estaria dependendo somente da colocação da cerâmica, mas que o estado não estava conseguindo um transporte para levar o material da obra de Maceió para Cajueiro, o que tem atrasado a finalização dos trabalhos.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o proprietário do imóvel alugado para abrigar os serviços da delegacia enquanto ela passa por reformas não vai ter prejuízo algum quanto ao pagamento das parcelas atrasadas. A promessa feita pela instituição é que o valor completo vai ser pago a partir da segunda quinzena de março, quando a reforma deve ser concluída e o expediente volta ao distrito.

Ainda conforme explicação da assessoria, o atraso do pagamento do aluguel se deu por conta das mudanças recentes na gestão da Polícia Civil e também o fechamento do sistema financeiro do Estado, o Siafem, que ocorre a cada ano. Os trabalhos logísticos e de finanças da instituição começaram a ser agilizados no fim de fevereiro, como garantiu o setor de imprensa. E acrescentou que vai ser aberto processo para o pagamento assim que o imóvel alugado seja desocupado pelas equipes policiais de Cajueiro.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email