Governo reporá cisternas destruídas em incêndio

O governo federal, através do Ministério da Integração, anunciou a reposição das 830 cisternas de polietileno destruídas em um incêndio possivelmente criminoso no galpão da prefeitura de Maracás, no sudoeste baiano; o diretor da Companhia Estadual de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), José Vivaldo Mendonça, afirma que a substituição será imediata e que a população não será prejudicada

Governo reporá cisternas destruídas em incêndio
Governo reporá cisternas destruídas em incêndio

Bahia 247

As vítimas da seca em Maracás, no sudoeste da Bahia, já podem voltar a sonhar com dias melhores. O governo federal, através do Ministério da Integração, anunciou a reposição das 830 cisternas destruídas em incêndio possivelmente criminoso no galpão da prefeitura local onde os equipamentos de polietileno estavam armazenados no domingo último.

Informação foi confirmada em reunião entre o diretor da Companhia Estadual de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), José Vivaldo Mendonça, e o prefeito de Maracás, Paulo dos Anjos, na sede da companhia, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Segundo Mendonça, a substituição será imediata – só depende da liberação do terreno pela perícia técnica, e não deve prejudicar o cronograma de instalação dos equipamentos, adquiridos por meio do Ministério da Integração e sob a responsabilidade da CAR.

As causas do incêndio estão sendo investigadas pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) e pela Polícia Federal. O prefeito aguarda as apurações. "Esses equipamentos serão muito importantes para o combate e convivência do sertanejo com a seca".

Cada cisterna possui capacidade para 15 mil litros de água e servem para amenizar os efeitos da seca. A CAR prevê a instalação de 12 mil cisternas no semiárido baiano, com recursos do Ministério da Integração. No total, 46 mil devem ser instaladas em 46 municípios do estado até o início de 2014.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247