Greve da Anvisa preocupa exportadores de mangas

Previsão é de que vendas externas cresçam entre 5% e 7% nesta safra, que começa este mês; temor dos exportadores é que as frutas fiquem retidas no Porto de Suape ocasionando fortes prejuízos aos produtores locais; Vale do São francisco responde por 90% das exportações de mangas e uvas

Greve da Anvisa preocupa exportadores de mangas
Greve da Anvisa preocupa exportadores de mangas (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE 247 – A greve da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vem prejudicando as exportações de produtos que precisam passar por fiscalização antes deserem embarcados em navios e aviões. Produtores de frutas do Vale do São Francisco, no Sertão Pernambucano, estão apreensivos quanto ao rumo que as exportações podem tomar. Parte da produção está retida no Porto de Suape, mas a safra ganhará impulso a partir de setembro, seguindo até dezembro. A região do Vale do São Francisco responde por cerca de 90% das exportações de mangas e uvas de mesa do País.

Há cerca de um mês, os produtores ganharam uma janela para importar as frutas aos Estados Unidos, devido à seca vivenciada no país estrangeiro e também no México. Cerca de 60% do que é produzido no vale do São Francisco do Estado é enviado para a Europa e principalmente para o país norte-americano. Com a paralisação dos fiscais da Anvisa, tanto esta janela como o grosso da safra, que está em seu início, pode vir a ser prejudicada, ocasionando fortes prejuízos aos exportadores.

A expectativa da Associação dos Produtores e Exportadores de Hortifrutigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport), é que as exportações sejam retomadas nos próximos dias. A previsão de crescimento, antes da paralisação, é que ficasse entre 5% e 7%. “Estamos preocupados com esta situação (greve) da Anvisa. Embora colhamos mangas ao longo de todo o ano, nossa safra aumenta a partir de setembro e caso não se normalize a liberação de mercadorias, teremos grandes prejuízos”, disse o presidente da Valexport, José Gualberto Almeida.

Em 2011, os pordutores registraram um faturamento de aproximadamente US$ 130 milhões com as exportações. Este ano, ainda de acordo com Gualberto, o faturamento seria ainda maior. “Teríamos um crescimento mais elevado e ainda iríamos contar com a alta do dólar, que nos beneficia. Mas com isto, vemos refazer estes cálculos. A nossa expectativa, caso tudo corra bem, é de um crescimento entre 5% e 7%”, comentou.

De acordo com a própria Anvisa, Pernambuco está incluído em uma lista de Estados que terão prioridades para regularizar as exportações. Através de uma resolução publicada no início desta semana, o órgão, por meio de convênios, receberá o reforço de servidores estaduais para realizar o serviço de fiscalização. Além de Pernambuco, também serão firmados convênios  juntos aos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Espírito Santo. A medida prevê que seja concedido licenciamento antecipado de importação de forma imediata.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email