Greve no metrô para o trânsito em Belo Horizonte

Paralisação de metroviários tira transporte de mais de 200 mil pessoas na capital. Pontos de ônibus ficam lotados e tráfego na avenida Cristiano Machado, parado

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - A greve dos metroviários em Belo Horizonte já provoca caos no trânsito da capital - que já não é dos melhores em dias “normais”. As pouco mais de 200 mil pessoas que usam o sistema recorrem aos ônibus, cujos pontos nas ruas estão lotados, e ao transporte com carros de passeio. Com isso, vias como a avenida Cristiano Machado estão quase totalmente congestionadas pela manhã desta segunda-feira.

Confira o texto de Luana Cruz e Pedro Ferreira, no portal do jornal Estado de Minas:

Começou à 0h desta segunda-feira a greve dos metroviários em Belo Horizonte e região metropolitana. Todas as estações estão paradas, mesmo depois do recurso da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) que apelou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para garantir operação de 30% do sistema de transporte. Passageiros foram alertados desde a última sexta-feira com panfletos e outros avisos, mas muitos apareceram nos terminais e foram surpreendidos pela paralisação.

Na Estação São Gabriel, Região Nordeste de BH, por exemplo, os passageiros desavisados encontraram as portas fechadas. Alguns voltaram para casa na tentativa de conseguir um transporte particular e outros recorreram aos coletivos. Os pontos de ônibus na Avenida Cristiano Machado ficaram lotados, com passageiros impacientes e ansiosos por causa do atraso para chegar no trabalho. 

Os metroviários reivindicam reajuste salarial de 5,74%, participação nos lucros e resultados, adicional noturno de 50%, além de plano de saúde. De acordo com o Sindicato dos Empregados em Empresas de Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG), a CBTU se recusa a aumentar os salários e definiu manter congelados os benefícios dos trabalhadores, como os auxílios transporte e alimentação. 

De acordo com a presidente do sindicado, Alda Lúcia Fernandes dos Santos, funcionários da operação, manutenção e administração aderiram à greve. A categoria se reúne em assembleia nesta segunda-feira às 15h para definir os rumos da paralisação. O protesto deve prejudicar cerca de 215 mil pessoas que utilizam o metrô, diariamente, em Belo Horizonte e região metropolitana.

São realizadas cerca de 290 viagens por dia que não vão acontecer hoje, conforme reforçou a presidente do sindicato. O TRT informou que ainda não há decisão sobre a ação cautelar ajuizada pela CBTU pedido a escala mínima de operação.

O trânsito na Avenida Cristiano Machado ficou caótico na manhã desta segunda por causa da greve do metrô. Filas de ônibus se formaram em todas extensão da via, desde o Hospital Risoleta Neves, zona norte, até a região do Bairro Cidade Nova. Os engarrafamentos exigem paciência dos motoristas. Além da lentidão que enfrentam toda manhã na avenida por causa das obras do BRT, condutores vão encarar mais veículos na pista hoje.

Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o trânsito no Anel Rodoviário também ficou complicado da altura da Cristiano Machado até o Viaduto São Francisco, no sentido BH/Rio de Janeiro. Na direção contrária, também há congestionamento por causa das obras no viaduto. O Batalhão de Transito da PM informou que no Hipercentro o trânsito ficou movimentado no horário de pico, conforme acontece todos os dias, sem grandes problemas por causa da greve.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247