Grupo de Márcio elege nova secretária de Juventude do PT/SE

O PT de Sergipe realizou no último final de semana a terceira edição do seu Congresso Estadual de Juventude; no evento, a técnica em gestão ambiental Linei Pereira, de 27 anos, foi eleita secretária de Juventude do PT estadual; ela integra a corrente Construindo Um Novo Brasil/Articulação Unidade na Luta, que é liderada, no Estado, pelo secretário nacional de Finanças, Márcio Macêdo

O PT de Sergipe realizou no último final de semana a terceira edição do seu Congresso Estadual de Juventude; no evento, a técnica em gestão ambiental Linei Pereira, de 27 anos, foi eleita secretária de Juventude do PT estadual; ela integra a corrente Construindo Um Novo Brasil/Articulação Unidade na Luta, que é liderada, no Estado, pelo secretário nacional de Finanças, Márcio Macêdo
O PT de Sergipe realizou no último final de semana a terceira edição do seu Congresso Estadual de Juventude; no evento, a técnica em gestão ambiental Linei Pereira, de 27 anos, foi eleita secretária de Juventude do PT estadual; ela integra a corrente Construindo Um Novo Brasil/Articulação Unidade na Luta, que é liderada, no Estado, pelo secretário nacional de Finanças, Márcio Macêdo (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 - O PT de Sergipe realizou no último final de semana a terceira edição do seu Congresso Estadual de Juventude. No evento, a técnica em gestão ambiental Linei Pereira, de 27 anos, foi eleita secretária de Juventude do PT estadual. Ela integra a corrente Construindo Um Novo Brasil/Articulação Unidade na Luta, que é liderada, no Estado, pelo secretário nacional de Finanças, Márcio Macêdo. O agrupamento já havia vencido na maioria das disputas pela coordenação de jovens nas conferências municipais no mês passado.

“Sermos vitoriosos nesta eleição, em um processo democrático, rico em debates acerca da atual conjuntura nacional e das bandeiras que defendem os direitos da juventude sergipana e brasileira, me deixa muito feliz e orgulhosa. É uma grande responsabilidade poder representar essa juventude petista combativa, que bota a estrela no peito e não foge da luta. A JPT segue no esteio de uma força motriz, forte, capaz de renovar os sonhos do Partido dos Trabalhadores, com muito diálogo e participação efetiva na disputa da sociedade”, afirmou Linei Pereira, que contou com o apoio de outras correntes internas, a PT Classista (liderada pelo deputado estadual Francisco Gualberto) e Movimento PT (de Severino Bispo).

A nova secretária ressaltou que “a juventude do PT de Sergipe toma um novo gás para encarar os desafios em defesa do nosso legado”. “Legado este, construído com mulheres e homens de fibra, que lutaram com ousadia, a exemplo dos nossos líderes que precocemente despediram-se de nós, Marcelo Deda e Zé Eduardo Dutra. Agora a missão é tornar a JPT ainda mais atuante nos movimentos sociais, pensando a juventude no plural, com suas características particulares, sociais e culturais, que dão identidade às jovens e aos jovens do Sertão ao Litoral, do Baixo São Francisco ao Sul Sergipano”, disse.

“Reorientação”

Presente ao Congresso, Márcio Macêdo reforçou a importância da participação dos jovens na política e destacou o exemplo de militância de José Eduardo Dutra, que foi homenageado na abertura do evento. Márcio fez ainda uma análise de conjuntura do Brasil. Ele defendeu uma “reorientação” na condução econômica do país.

Ao falar de José Eduardo Dutra, de quem era amigo, Márcio ressaltou o trabalho do ex-senador e ex-presidente da Petrobras, pontuando que a juventude deve tê-lo como referência política e moral. “Zé Eduardo era um gestor competente, um militante apaixonado pelo PT e pelas causas do partido e das lutas sociais. Tenham Zé como uma boa referência. Vamos juntos continuar a luta de Zé Eduardo Dutra em Sergipe e no Brasil” afirmou ele, emocionado.

Quanto ao momento econômico, Márcio Macêdo frisou que existe uma crise do capitalismo mundial, mas pontuou que “parte desta crise é reforçada por setores da mídia e pela oposição”. Ele defendeu a aplicação dos ajustes fiscais, mas disse que é chegado o momento de uma “reorientação” no comando da política econômica brasileira.

“Os ajustes fiscais são importantes, mas não podem ser uma política de governo para os quatro anos. A presidente do país é Dilma Rousseff, é ela quem deve comandar a economia. É chegado o momento de uma reorientação da economia, que se torne mais afinado com o nosso programa de governo”, ressaltou. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247