Grupo se reúne contra privatizações no RS

A CUT-RS promove na próxima quinta-feira (13) uma reunião da Frente em Defesa das Estatais para definir estratégias e mobilizações para combater a agenda de privatizações em estudo pelo governo de José Ivo Sartori (PMDB); a frente é integrada por federações, sindicatos e associações de servidores públicos; “Além do parcelamento de salários e da política de arrocho, que tem infernizado a vida do funcionalismo, o governo do Estado prepara novo pacote de maldades para a abertura de capital e privatização de empresas estatais, o que não podemos permitir”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo

12/08/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Frente em Defesa das Estatais realiza ato contra as privatizações e em defesa dos direitos dos trabalhadores, na Praça da Alfândega. Foto: Maia Rubim/Sul21
12/08/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Frente em Defesa das Estatais realiza ato contra as privatizações e em defesa dos direitos dos trabalhadores, na Praça da Alfândega. Foto: Maia Rubim/Sul21 (Foto: Leonardo Lucena)

Sul 21 - A Central Única dos Trabalhadores (CUT-RS) promove na próxima quinta-feira (13) uma reunião da Frente em Defesa das Estatais para definir estratégias e mobilizações para combater a agenda de privatizações em estudo pelo governo de José Ivo Sartori (PMDB). A frente é integrada por federações, sindicatos e associações de servidores públicos.

“Além do parcelamento de salários e da política de arrocho, que tem infernizado a vida do funcionalismo, o governo do Estado prepara novo pacote de maldades para a abertura de capital e privatização de empresas estatais, o que não podemos permitir”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo. “Sartori está chegando à metade do seu mandato e deveria parar de sacrificar os servidores e deixar de fazer o discurso do caos nas contas públicas, pois não há justificativas. Além da renegociação da dívida com a União, o Estado foi beneficiado com o aumento linear do ICMS desde janeiro deste ano, o saque de parcela dos depósitos judiciais e a venda da folha dos servidores estaduais por R$ 1,2 bilhão ao Banrisul”, complementa.

Citando notícia publicada no Correio do Povo, a CUT-RS afirma que o governo está articulando junto a deputados da base aliada propostas de privatização das estatais Sulgás e Companhia Riograndense de Mineração (CRM).

A central se opõe a privatizações destas empresas alegando que elas dão lucro e ajudam a reforçar o caixa único do Estado. “A manutenção das empresas estatais é fundamental para o desenvolvimento do Rio Grande. Além de cumprirem importante papel estratégico, os lucros obtidos reforçam o caixa único do Estado, contribuindo para o pagamento dos servidores e a prestação dos serviços públicos, como saúde, educação, segurança e assistência social”, diz o presidente da CUT-RS.

Segundo a Associação dos Empregados da Companhia de Gás do RS (Assulgás), a Sulgás deve lucrar R$ 118 milhões em 2016, quase o dobro do que lucrou no ano passado, R$ 68,5 milhões. Além disso, no ranking Maiores e Melhores 2016 da Revista Exame, ela é a segunda estatal mais rentável do país e a terceira melhor empresa do setor de energia e gás. No ranking Maiores Empresas 2016 da Revista Valor Econômico, é a com maior rentabilidade de lucro líquido sobre patrimônio líquido no setor de petróleo e gás.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247