Guimarães: pronunciamento de Temer foi vago e desrespeitoso

O deputado federal José Guimarães, líder da minoria, criticou duramente o pronunciamento feito hoje por Michel Temer, na tentativa de se defender das acusações de Joesley Batista, dono da JBS. "Mais uma vez o povo brasileiro assiste a um pronunciamento vago e desrespeitoso do presidente Michel Temer. Para Guimarães, Temer deveria ter a humildade de renunciar

Brasília - O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães, fala à imprensa no Congresso Nacional (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães, fala à imprensa no Congresso Nacional (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

Ceará 247 - O deputado federal José Guimarães, líder da minoria, criticou duramente o pronunciamento feito hoje por Michel Temer, na tentativa de se defender das acusações de Joesley Batista, dono da JBS. "Mais uma vez o povo brasileiro assiste a um pronunciamento vago e desrespeitoso do presidente Michel Temer. Palavras que não respondem a qualquer questionamento feito pelas denúncias nas quais ele se encontra envolvido, afirmou Guimarães.

O deputado critica ainda o pedido de arquivamento feito pela defesa de Temer, ao STFl. "Ainda teve a audácia de pedir o arquivamento das denúncias contra ele no Supremo Tribunal Federal" e diz que tem Temer deveria ter a humildade de renunciar. "A crise econômica tende a ficar mais grave com o aprofundamento da crise política. O presidente que assumiu de forma ilegítima o cargo deveria ter humildade e renunciar para o bem do país".
Para Guimarães, é o povo quem deve apontar a saída para a crise. "Cabe ao povo decidir a saída para a grave crise política que o país enfrenta. Não aceitamos qualquer saída sem que haja a participação popular. Neste domingo, ocuparemos as ruas exigindo "Diretas Já".

Segundo ele, na próxima terça, a bancada de oposição vai continuar fazendo pressão no Congresso Nacional para que seja aprovada a PEC 227/2016 que prevê eleições diretas para a Presidência em caso de vacância e destacou a manifestação marcada para dia 24, em Brasília, quando milhares de trabalhadores estarão ocupando a capital do País, para mostrar a indignação diante de tão graves denúncias que envolvem o Michel Temer.

"O Brasil não ficará deitado eternamente em berço esplêndido. O gigante acordou e não aceita assistir a esse triste capítulo de sua história de braços cruzados', concluiu o deputado.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247