Guimarães: Temer quer governar o País à revelia da soberania popular

O líder do governo na Câmara Federal, deputado José Guimarães (PT-CE), usou a tribuna no espaço da liderança para denunciar mais uma vez o golpe comandado agora por Michel Temer (PMDB-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e acusou o vice-presidente de querer governar o Brasil à revelia da soberania popular. "O Temer presidente e o presidente desta casa, Eduardo Cunha, vice-presidente? Essa é a saída para o Brasil? 

O líder do governo na Câmara Federal, deputado José Guimarães (PT-CE), usou a tribuna no espaço da liderança para denunciar mais uma vez o golpe comandado agora por Michel Temer (PMDB-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e acusou o vice-presidente de querer governar o Brasil à revelia da soberania popular. "O Temer presidente e o presidente desta casa, Eduardo Cunha, vice-presidente? Essa é a saída para o Brasil? 
O líder do governo na Câmara Federal, deputado José Guimarães (PT-CE), usou a tribuna no espaço da liderança para denunciar mais uma vez o golpe comandado agora por Michel Temer (PMDB-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e acusou o vice-presidente de querer governar o Brasil à revelia da soberania popular. "O Temer presidente e o presidente desta casa, Eduardo Cunha, vice-presidente? Essa é a saída para o Brasil?  (Foto: Fatima 247)

Ceará247 - O líder do governo na Câmara Federal, deputado José Guimarães (PT-CE) usou a tribuna no espaço da liderança para denunciar mais uma vez o golpe comandado por Michel Temer (PMDB-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com apoio e outros partidos de direita, contra o governo democrático e popular da presidenta Dilma Rousseff (PT). Ele acusou o vice-presidente de querer governar o Brasil "à revelia da soberania popular". Denunciou ainda que Michel Temer está negociando, no próprio Palácio do Jaburu (residência oficial da vice-presidência), cargos no governo sem o golpe ter sido concretizado.

Com um discurso duro, Guimarães cobrou coerência do PMDB com sua história. "Eu tenho muito respeito por muitos deputados do PMDB. E tenho mesmo, mas isso não é razoável para a história do PMDB. Porque está se constituindo uma saída para o Brasil - é o Temer presidente e o presidente desta casa, Eduardo Cunha, vice-presidente? Essa é a saída para o Brasil? Não me parece ser esse o melhor caminho. O melhor caminho é discutir o País após domingo. Discutir uma outra saída para o Brasil. Não podemos enveredar pelo caminho da maldade. Esse caminho que só tem um objetivo, é punir a presidente Dilma".

Guimarães desafiou a oposição a mostrar que tem os 342 votos e afirmou que o governo está disposto a conversar com todos na segunda-feira para pactuar uma saída para a crise. "Cade os votos, porque que não divulgam? Eu tenho minha lista aqui. Nós não temos menos de 200 votos, na disputa aqui no plenário. Eu não vou mostrar minha lista. Mostrem que tem os 342 votos. Nós vamos topar discutir segunda-feira com todo mundo porque eu estou convencido que eles não têm votos para aprovar o impeachment. O País precisa ser repactuado. Medidas econômicas precisam ser tomadas. Ter uma repactuação política. Mas não é desse jeito. Dar um golpe a qualquer preço, a qualquer custo".

Para Guimarães, o País vai dizer um não ao golpe. "O País se unificou em torno da democracia e da legalidade. E nós temos que saudar esse mundaréu de gente que está nas ruas dizendo fora golpe. A sociedade civil está organizada, os intelectuais, os juristas, um sem número de personalidades, todos e todas evolvidos na luta pela democracia".

 

 

 



 

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247