Haddad: comunicação precisa estar na agenda do próximo governo

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, defende que a democratização da comunicação deve constar na lista de prioridades do próximo governo do Brasil, pois o tema é fundamental para o fortalecimento da democracia no país; para ele, “O debate sobre a comunicação já tardou tanto quanto o da reforma política. Está passando dos limites da irresponsabilidade, da omissão frente a isso. Essa agenda tem que estar na ordem do dia do próximo governo, se for um governo progressista, democrático e comprometido com a causa popular”

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, defende que a democratização da comunicação deve constar na lista de prioridades do próximo governo do Brasil, pois o tema é fundamental para o fortalecimento da democracia no país; para ele, “O debate sobre a comunicação já tardou tanto quanto o da reforma política. Está passando dos limites da irresponsabilidade, da omissão frente a isso. Essa agenda tem que estar na ordem do dia do próximo governo, se for um governo progressista, democrático e comprometido com a causa popular”
O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, defende que a democratização da comunicação deve constar na lista de prioridades do próximo governo do Brasil, pois o tema é fundamental para o fortalecimento da democracia no país; para ele, “O debate sobre a comunicação já tardou tanto quanto o da reforma política. Está passando dos limites da irresponsabilidade, da omissão frente a isso. Essa agenda tem que estar na ordem do dia do próximo governo, se for um governo progressista, democrático e comprometido com a causa popular” (Foto: Voney Malta)

Por Cristiane Sampaio/Brasil de Fato - A democratização da comunicação deve constar na lista de prioridades do próximo governo do Brasil, segundo o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Para o petista, que também foi ministro da Educação no governo Lula, o tema é fundamental para o fortalecimento da democracia no país.

“O debate sobre a comunicação já tardou tanto quanto o da reforma política. Está passando dos limites da irresponsabilidade, da omissão frente a isso. Essa agenda tem que estar na ordem do dia do próximo governo, se for um governo progressista, democrático e comprometido com a causa popular”, afirmou.

Haddad foi um dos convidados da abertura do seminário “Os desafios da comunicação nas administrações públicas”, que ocorre este fim de semana – entre os dias 25 e 26 – em São Luís, no Maranhão. Ele ressaltou que, no Brasil, apenas sete famílias detêm o monopólio dos meios de comunicação, controlando a agenda política nacional.

Para o petista, a desconcentração da propriedade desses veículos é um desafio relacionado à educação da população, que precisa ter acesso a uma diversidade de conteúdos e opiniões. O ex-prefeito acrescentou que a sociedade como um todo tem o direito de conhecer o trabalho desempenhado pelos veículos da mídia alternativa, que, para ele, necessitam de mais espaço no mundo da informação.

“A concentração da propriedade é contra a democracia, atrapalha a democracia. Nós temos que educar as pessoas para receberem, de forma autônoma e livre, essa informação turbinada por esses novos expedientes, para que as pessoas possam se valer da comunicação para aprofundar a democracia”, defendeu Haddad.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247