Haddad diz que UTC estava contrariada com seu governo

Ex-prefeito de São Paulo, cuja campanha foi alvo de uma operação da PF nesta quinta-feira, com base em delação premiada do ex-presidente da UTC Ricardo Pessoa, disse em nota que a empreiteira "teve seus interesses contrariados" no início de sua gestão na Prefeitura de São Paulo; segundo ele, os repasses de R$ 2,6 milhões da construtora para gráficas "nada tem a ver" com sua campanha de 2012; "Seria contraditório", afirma; Haddad será intimado a prestar depoimento, segundo a PF

11/06/2015- Bras�lia- DF, Brasil- O prefeito de S�o Paulo, Fernando Haddad, � recebido pela lideran�a do PT na C�mara, dep. Sib� Machado (PT-AC) e vice-l�der, dep. Afonso Florence (PT-BA). Foto: Gustavo Bezerra/ Ag�ncia PT
11/06/2015- Bras�lia- DF, Brasil- O prefeito de S�o Paulo, Fernando Haddad, � recebido pela lideran�a do PT na C�mara, dep. Sib� Machado (PT-AC) e vice-l�der, dep. Afonso Florence (PT-BA). Foto: Gustavo Bezerra/ Ag�ncia PT (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad comentou, em nota, a operação da Polícia Federal Cifra Oculta, deflagrada nesta quinta-feira 1º, que investiga eventuais crimes eleitorais e lavagem de dinheiro durante sua campanha para a Prefeitura de São Paulo em 2012.

O delegado da Polícia Federal Rodrigo Costa afirmou que Haddad será intimado a prestar depoimento no âmbito da operação, que é um desdobramento da Lava Jato.

Na nota, o ex-prefeito afirmou que o repasse de R$ 2,6 milhões pela empreiteira UTC nada tem a ver com sua campanha. A origem das investigações foi a delação do ex-presidente da construtora, Ricardo Pessoa.

Leia a íntegra da nota de Fernando Haddad:

Com relação a Operação Cifras Ocultas, deflagrada hoje de manhã pela Polícia Federal, o ex-prefeito Fernando Haddad, por sua assessoria, informa que a gráfica citada, de propriedade do ex-deputado Francisco Carlos de Souza, prestou apenas pequenos serviços devidamente pagos pela campanha e registrados no TRE.

A UTC teve seus interesses contrariados no início da gestão Haddad na Prefeitura, com o cancelamento das obras do túnel da avenida Roberto Marinho, da qual fazia parte junto com outras empreiteiras igualmente envolvidas na Lava Jato. O executivo da UTC, Ricardo Pessoa, era dos mais inconformados com a decisão.

O propalado repasse de R$ 2,6 milhões, se ocorreu, não tem nada a ver com a campanha de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo em 2012, até porque seria contraditório uma empresa que teve seus interesses prejudicados pela administração, saldar uma dívida de campanha deste administrador.

Assessoria do ex-prefeito Fernando Haddad

Ao vivo na TV 247 Youtube 247