Hebraica traz obras de arte de R$ 2 mil a R$ 2 milhões

Salão de Arte de São Paulo reúne mais de 60 expositores no Clube A Hebraica; há obras da modernista Tarsila do Amaral, como o quadro  "A Negra", e fotografites de Alexandre Orion; 247 entrevistou o marchand Gustavo Carneiro Affonso

Hebraica traz obras de arte de R$ 2 mil a R$ 2 milhões
Hebraica traz obras de arte de R$ 2 mil a R$ 2 milhões (Foto: Edição/247 )

Aline Oliveira _247- Está acontecendo na capital paulista uma das mais importantes feiras de arte da América Latina. Trata-se da 19º edição do Salão de Arte de São Paulo, que reúne mais de 60 expositores no clube A Hebraica.

O evento, que vai até o domingo 26, apresenta um mix de arte composto por obras modernas e contemporâneas, gravuras, peças e livros raros, galerias, joalherias, antiquários, fotografias e decoradores. Há raridades como o quadro "A Negra", da modernista Tarsila do Amaral,  obras de Di Cavalcanti e grafites de Alexandre Orion, o que marca a versatilidade da exposição. "Acredito no trabalho de todos os artistas que representamos, e vejo clientes que tem obras de artistas como Di Cavalcanti, que adoram os trabalhos contemporâneos", disse o marchand Gustavo Carneiro Affonso, que trouxe obras de Orion, do acervo da Galeria Inox, do Rio de Janeiro.

247- Como surgiu o convite para participar do Salão de Arte de São Paulo?
Gustavo Carneiro - Um amigo foi convidado para participar da feira ano passo e nos chamou para dividir stand. Vendemos bem e repetimos esse ano. Mesmo tendo um publico voltado mais para antiguidade, as pessoas não fecham os olhos para arte contemporânea.

247- Quando vocês começaram a ter obras de Alexandre Orion?
Gustavo Carneiro - Foi o primeiro artista da Galeria. Inicialmente entramos em contato com ele, pois  queria adquirir um trabalho para minha coleção e no Brasil não havia galeria que o representasse.

247- Qual a importância de expor um artista de grafite?
Gustavo Carneiro - Orion é muito reconhecido fora do Brasil. Tem trabalho dele em diversos museus, instituições e coleções privadas importantes. Ele está fazendo no momento uma exposição na Folley Galery (é a galeria que o representa em NY) e no Mad museum. O trabalho dele está reproduzido em vários livros de arte de fora e catálogos.  Para a galeria é muito importante ter ele como artista representado. Suas obras já fazem parte de acervos como o Itaú Cultural e coleções particulares como a da família Rotschild. Ele já é bastante conhecido e tem um crescente mercado no exterior.

247- E como é expor esse trabalho ao lado de quadros como os de Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti?
Gustavo Carneiro - No caso do Hebraica, por ter trabalhos de artistas tão consagrados, vejo que isso ganha uma responsabilidade. Acredito no trabalho de todos os artistas que representamos, e vejo clientes que tem obras de artistas como Di Cavalcante, que adoram os trabalhos contemporâneos. Vendemos obras para pessoas que tem trabalho desses artistas e colocam em sua coleção obras dos novos artistas também. Isso nos empolga muito.

247- Há quanto tempo existe a galeria Inox e como vocês selecionam o trabalho?
Gustavo Carneiro - A galeria existe faz 3 anos, teve início em março de 2009. Começamos representando três artistas, atualmente representamos sete. Selecionamos pelo trabalho, currículo e identidade do artista com o perfil da galeria.

Exposição

Este ano, o salão adota um modelo de decoração oposto ao ambiente clássico das galerias e feiras do setor. Com o uso de tecido e madeira, e sem o silêncio e o branco tradicionais dos endereços comerciais, os visitantes podem se sentir à vontade para conhecer a exposição e entrar nos estandes.

Entre os 60 expositores há nomes como Caloula Filho, Sandra e Marcio, Resplendor, Began Antiguidades, Onze Dinheiros, Almeida e Dale, Dan Galeria, Pinakotheke, Paulo Kuczynski, Galeria Arte 57, Murilo Castro, Athena Contemporânea, SARA, Ruth Grieco, Fólio Livraria, Casa das Artes, entre outros.

O Salão de Arte vem, mais uma vez, representar a força e o crescimento do mercado de arte no Brasil e mantém a tradição de atuar em projetos de responsabilidade social. Nesta edição, o evento também terá a sua renda integral da bilheteria e do coquetel da noite de abertura revertidos à ACTC - Associação de Assistência à Criança e ao Adolescente Cardíacos e aos Transplantados do Coração. A entidade presta atendimento multidisciplinar à criança cardíaca e aos transplantados do coração, encaminhados pelo Instituto do Coração, Incor (HC-FMUSP), bem como a seus familiares.

SERVIÇO

19º Salão de Arte de São Paulo
Local - A Hebraica - Salão Marc Chagall
Endereço - Rua Dr. Alberto Cardoso de Melo Neto, 115 – São Paulo/SP
Data - Até 26 de agosto, domingo

 


 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247