Heitor Férrer apresenta propostas de governo na Câmara

Candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo PSB, Heitor Férrer foi à Câmara Municipal, nesta quinta-feira (15), apresentar suas propostas e debater com os vereadores seu plano de governo. Questionado pelos parlamentares, o deputado falou sobre a continuidade de obras da atual gestão, se disse contra o armamento da Guarda Municipal e explicou seu desejo de diminuir o número de fotossensores na cidade

Candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo PSB, Heitor Férrer foi à Câmara Municipal, nesta quinta-feira (15), apresentar suas propostas e debater com os vereadores seu plano de governo. Questionado pelos parlamentares, o deputado falou sobre a continuidade de obras da atual gestão, se disse contra o armamento da Guarda Municipal e explicou seu desejo de diminuir o número de fotossensores na cidade
Candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo PSB, Heitor Férrer foi à Câmara Municipal, nesta quinta-feira (15), apresentar suas propostas e debater com os vereadores seu plano de governo. Questionado pelos parlamentares, o deputado falou sobre a continuidade de obras da atual gestão, se disse contra o armamento da Guarda Municipal e explicou seu desejo de diminuir o número de fotossensores na cidade (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará247 - Os vereadores da Capital acompanharam, na manhã desta quinta-feira (15), a apresentação do candidato a prefeito de Fortaleza, Heitor Férrer (PSB), e debateram seu plano de governo. Os vereadores levantaram questões principalmente sobre os fotossensores espalhados na cidade e sua possível redução, caso o candidato seja eleito.

O primeiro parlamentar a fazer questões ao candidato foi o Presidente da CMFor, vereador Salmito Filho (PDT), que perguntou principalmente se Heitor Férrer daria continuidade a diversas obras já iniciadas na atual gestão como o IJF II e daria também continuidade a outras obras que se mostraram positivas, como as areninhas, ciclofaixas, e postos de saúde. O vereador Dr. Adelmo (PDT) também questionou o que o candidato irá fazer para fazer com que as praças continuem a ter a presença da população.

O vereador João Alfredo (PSOL), Toinha Rocha e Guilherme Sampaio (PT) indagaram sobre a possibilidade da redução dos fotossensores, por acreditarem que a redução dos fotossensores os acidentes de trânsito envolvendo pedestres e ciclistas possam aumentar. Também sobre o assunto, Ruthmar Xavier (PR) pediu para que os fotossensores sejam mais visíveis para os motoristas para evitar as multas.

Sobre as indagações, Heitor Férrer afirmou que o gestor tem que ter responsabilidade de dar continuidade nas boas obras da gestão anterior, e citou que as areninhas, praças, creches e upas teriam continuidade.

“O prefeito já licitou e iniciou a obra do IJF II e o gestor seguinte tem obrigação de dar continuidade e esperamos que a obra seja de grande valia. Eu sou contra o Aquário, mas a construção do IJF II eu manteria como obra prioritária”, afirmou.

O candidato afirmou que para manter as praças da cidade movimentada e ocupada pela população, ele criaria sim um projeto para que pequenos comerciantes possam vender nas praças, aliando a atividade econômica e a segurança pública nesses locais.

Heitor também respondeu a pergunta do vereador Fábio Braga (PTN) que indagou ao candidato se ele continuaria a manter as regionais. O candidato afirmou que a divisão da cidade em regionais é uma grande necessidade e acredita que quanto mais descentralizado a gestão for, melhor os resultados seriam.

Questionado também sobre armar a guarda, Heitor afirmou que não irá fazer isso por acreditar que só polícia não resolve o problema da segurança, e citou que mesmo com o maior número de policiais militares no estado, os homicídios só cresceram em vez de diminuir.

Sobre os fotossensores, Heitor afirmou que mais de R$ 7 milhões do bolso do cidadão por conta das multas geradas todo mês, e que por conta disso, os fotossensores não possuem mais função pedagógica, mas sim uma função arrecadatória.

“Quando o cidadão transgride a regra, há de se imaginar que ele dê prejuízo a terceiros, mas se eu sou multado pelo fotossensor e não agredi terceiros, qual é o critério? O Ministério Público tem prova de que os equipamentos colocados em Fortaleza de 2006 a 2011 sem qualquer estudo prévio, ferindo o código nacional de trânsito. O que a justiça tem é que está provado que os equipamentos foram colocados e só depois foram apresentados os relatórios”, afirmou.

O candidato afirmou que tem propósito de melhor sinalizar onde existe o fotossensor para evitar que o excesso de multas, e se comprometeu em retirar boa parte dos sensores existentes sem aumentar o número de acidentes ou vítimas.

“Quero diminuir essa taxa, que é de quase 28 pessoas a cada 100 mil. Eu quero fazer a implantação dos fotossensores nas áreas certas. A minha ideia é acabar com a indústria da multa. Quero que o fotossensor não multe ninguém, que ele esteja ali bem visível para que ele exerça sua função pedagógica, porque essa é a função dele, de ser bem visto e não camuflado. Eles estão camuflados para multar”, concluiu.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247