Homem assassinado estava com moto do goleiro Bruno

Um homem de 38 anos que estava com uma moto Kawasaki Ninja, com documentos em nome do goleiro Bruno Fernandes, foi assassinado a tiros na Região da Pampulha, em Belo Horizonte; segundo a Polícia Civil, o motivo do assassinato não foi revelado; o rapaz ficou preso de 2011 a 2013, na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, por tráfico de drogas; neste mesmo período, o goleiro Bruno esteve no mesmo presídio cumprindo pena pela morte de Eliza Samudio

Um homem de 38 anos que estava com uma moto Kawasaki Ninja, com documentos em nome do goleiro Bruno Fernandes, foi assassinado a tiros na Região da Pampulha, em Belo Horizonte; segundo a Polícia Civil, o motivo do assassinato não foi revelado; o rapaz ficou preso de 2011 a 2013, na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, por tráfico de drogas; neste mesmo período, o goleiro Bruno esteve no mesmo presídio cumprindo pena pela morte de Eliza Samudio
Um homem de 38 anos que estava com uma moto Kawasaki Ninja, com documentos em nome do goleiro Bruno Fernandes, foi assassinado a tiros na Região da Pampulha, em Belo Horizonte; segundo a Polícia Civil, o motivo do assassinato não foi revelado; o rapaz ficou preso de 2011 a 2013, na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, por tráfico de drogas; neste mesmo período, o goleiro Bruno esteve no mesmo presídio cumprindo pena pela morte de Eliza Samudio (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - Um homem de 38 anos que estava com uma moto Kawasaki Ninja de cor azul, com documentos em nome do goleiro Bruno Fernandes, foi assassinado a tiros, no bairro Urca, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil, a crime aconteceu na última quinta-feira (5). O motivo do assassinato não foi revelado.

O rapaz ficou preso de 2011 a 2013, na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, por tráfico de drogas. Neste mesmo período, o goleiro Bruno esteve no mesmo presídio cumprindo pena pela morte de Eliza Samudio.

De acordo com a polícia, a família da vítima informou que a moto foi presente de Bruno. Já o advogado que representa o goleiro, Francisco Simim, afirmou que o veículo estava parado há mais de dois anos na casa de Luiz Henrique Romão, o Macarrão. A moto foi levada para a residência da avó do goleiro e, depois foi vendida, conforme o defensor.

O advogado não soube informar quando a venda foi feita e nem por quanto, mas afirmou que a moto estava com os impostos atrasados e em péssimo estado. Simim acredita que foi vendida por menos de R$ 20 mil.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247