Humberto e Geraldo: Estabilização à vista?

Avaliação é do cientista política Michel Zaidan em relação às tendências de queda e alta dos candidatos à Prefeitura do Recife nas últimas pesquisas; porém, segundo ele, movimento de polarização entre PT e PSB é irreversível

Humberto e Geraldo: Estabilização à vista?
Humberto e Geraldo: Estabilização à vista? (Foto: André Corrêa/Divulgação e Roberto Pereira/PSB)

Raphael Coutinho _PE247 – Os números apresentados pelas últimas pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura do Recife apontam para uma tendência de crescimento dos candidatos Geraldo Julio (PSB) e Daniel Coelho (PSDB), e de baixa para Humberto Costa (PT) e Mendonça Filho (DEM). No entanto, de acordo com o cientista político Michel Zaidan, os números deverão se estabilizar nos próximos dias e o processo de polarização entre o petista e o socialista deve se confirmar. Ainda segundo ele, os dois devem seguir para o segundo turno, caso não ocorra nada de “extraordinário”.

Na próxima quarta-feira (29), o Datafolha irá divulgar mais um levantamento sobre a corrida à Prefeitura do Recife. Caso se confirme a tendência observada nas últimas pesquisas, a polarização entre a candidatura petista e a socialista deverá acirrar ainda mais o guia eleitoral e os debates promovidos pelos meios de comunicação. No entanto, segundo o cientista político Michel Zaidan, deverá haver, nos próximos dias, uma estabilização nos movimentos de ascensão e queda dos dois candidatos.

“É normal que quem comece na frente perca alguns pontos, enquanto o que começa atrás suba. Mas acredito em uma estabilização dos números. No entanto, os dois candidatos (Humberto e Geraldo) deverão seguir para o segundo turno, caso não ocorra nada de extraordinário”, avaliou Zaidan. Ainda de acordo com ele, o guia eleitoral não possui poder para reverter a situação atual, mas podem aparecer outros dispositivos que influenciarão o comportamento do eleitor. “Com certeza o ex-presidente Lula (PT) e o governador Eduardo Campos (PSB) vão se engajar ainda mais na campanha dos seus correligionários. Isso deve ocorrer nos próximos dias”, disse.

Outro ponto levantado pelo cientista político é em relação aos outros dois candidatos mais bem colocados, Mendonça Filho e Daniel Coelho. Segundo ele, a polarização entre Humberto e Geraldo poderá forçar eleitores do DEM e PSDB a votarem no PT e PSB. “A polarização atrai eleitores dos partidos com menos votos. Acredito que, caso esta tendência se confirme, os dois outros candidatos (Mendonça e Daniel) podem ficar com menos de 10% de votos cada. Assim, a eleição iria para o segundo turno com Humberto e Mendonça”, acrescentou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247