Humberto: Quem escolhe o candidato é o PT

Senador afirma que as demais siglas da Frente no devem interferir nas discusses internas do PT e garante que o partido esperar a posio do prefeito do Recife, Joo da Costa, sobre as eleies deste ano

Humberto: Quem escolhe o candidato é o PT
Humberto: Quem escolhe o candidato é o PT (Foto: Andréa Rêgo Barros/247)

PE247 - A esperança petista parece continuar. Apesar dos aliados do PT na Frente Popular terem desistido de esperar que as discussões internas na sigla prosperem, a exemplo do senador Armando Monteiro (PTB), que vem se articulando com as demais legendas em prol das múltiplas candidaturas, os líderes petistas insistem em “bater na mesma tecla”: a incansável candidatura de João da Costa. Irritado com a postura divergente de alguns partidos da Frente, o senador Humberto Costa deu “um chega para lá” na movimentação aliada.

“Não vamos admitir que o candidato seja escolhido por outros partidos. O PT tem que fazer esse trabalho de buscar a unidade. Vamos aguardar para ver o roteiro que queremos fazer”, afirmou, em entrevista à Rádio Folha, Humberto Costa. Além do PTB de Armando Monteiro, o PSC e o PDT também já indicaram outros nomes como possíveis para concorrer ao pleito municipal, em outubro.

A recusa dos outros partidos em aceitarem o nome do prefeito João da Costa como representante surgiu do desgaste que a gestão vem sofrendo, estampado nos resultados negativos das pesquisas eleitorais, e da inabilidade do gestor de construir as pontes necessárias com os aliados. Para Humberto, no entanto, o PT dará o tempo necessário para que o prefeito reverta o quadro desfavorável no Recife.

O senador atribuiu, ainda, a impopularidade da gestão às complicações de saúde que o prefeito sofreu enquanto esteve no pleito. “Todos sabemos que o prefeito passou por problema de saúde e precisa de mais tempo para consolidar sua gestão e ter candidatura dele que se possa colocar. Temos que dar a ele todo o tempo necessário para construir a viabilidade da candidatura dele”, afirmou.

Costa desmentiu as especulações de previas no partido, devido às sequelas que essa medida traria à sigla. Para o petista, o caminho às eleições será decidido pelo prefeito e os seus correligionários esperarão sua posição, inclusive se a decisão final for renunciar à candidatura. “Todo mundo no PT tem consciência de que prévia não é um bom caminho. É um processo de disputa interna e de desgaste e sabemos que traz consequências graves para o vencedor. A única possibilidade de haver mudanças no roteiro é se prefeito, voluntariamente, achar que não deve disputar eleição. Mas tem que dizer isso é o prefeito”, frisou.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247