Ibovespa sobe 2% e dólar cai 1% com Meirelles na Fazenda

O benchmark da bolsa brasileira teve alta de 2,35%, a 53.083 pontos. O volume financeiro negociado na Bovespa foi de R$ 6,284 bilhões. Já o dólar comercial fechou em queda de 0,83% a R$ 3,5186 na compra e R$ 3,5191 na venda

Ibovespa sobe 2% e dólar cai 1% com Meirelles na Fazenda
Ibovespa sobe 2% e dólar cai 1% com Meirelles na Fazenda (Foto: Ze Carlos Barretta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO - O Ibovespa fecha em alta nesta terça-feira (26), impulsionado pela alta de 3% do petróleo e também pelo noticiário político. Por aqui, o mercado ficou atento à sessão Comissão Especial de Impeachment do Senado. Além disso, os investidores também acompanharam as especulações sobre o ministério da Fazenda em um eventual governo de Michel Temer. Segundo a Folha de S. Paulo, o vice-presidente aceita a exigência feita pelo ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, de ter a autonomia para indicar o próximo presidente do BC. 

O benchmark da bolsa brasileira teve alta de 2,35%, a 53.083 pontos. O volume financeiro negociado na Bovespa foi de R$ 6,284 bilhões. Já o dólar comercial fechou em queda de 0,83% a R$ 3,5186 na compra e R$ 3,5191 na venda, enquanto o dólar futuro para maio caía 1,01% a R$ 3,530. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 sobe 5 pontos-base a 13,54%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 avança 3 pontos-base a 12,78%. 

Além da questão política, o trader da H. Commcor, Ari Santos, cita a operação de cash and carry - que consiste na compra e índice à vista e venda de índice futuro - como motivo para a alta de hoje. Ele também cita a alta das commodities e a correção da queda de ontem como explicações plausíveis para todo o otimismo que tomou conta da Bovespa neste pregão. "Eu não vejo tanto esse lado político, uma vez que já está dado o rito das votações no Senado. Outros já cogitam que é o nome de Meirelles no ministério. Tem muita gente especulando sobre esse tipo de coisa, mas eu acho que é muito mais esta questão do financiamento por cash and carry", explica.

 

Todo o mercado fica ansioso por decisões de política monetária da quarta e por definição de equipe econômica de Temer (Shutterstock)

Notícias relacionadas

Comissão do impeachment
O início dos trabalhos da Comissão do Impeachment foi bem acalorado, com a eleição do presidente e do relator nesta terça-feira (26). O nome do senador Raimundo Lira (PB), indicado pelo PMDB, o partido de maior bancada na Casa, foi confirmado sem nenhuma contestação de parlamentares de oposição e do governo. A polêmica de mais de duas horas ocorreu com a eleição do relator, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG). A confirmação do nome do senador tucano, em votação simbólica, marcou a primeira grande derrota dos governistas na comissão, que conseguiram somar apenas 5 votos contrários, ante 16 a favor. A indicação do tucano surgiu pela proporcionalidade de bancadas. De acordo com o critério que definiu a composição da comissão, a relatoria caberia ao Bloco Parlamentar da Oposição (PSDB-DEM-PV). 

Meirelles na Fazenda
Em entrevista exclusiva para o jornal O Globo, o vice-presidente da República, Michel Temer, disse ter ficado "muito bem impressionado" com conversa que teve com o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Em "ato falho" ele até admitiu que deixaria que Meirelles indicasse o presidente do BC, embora faça questão de indicar o ministro do Planejamento. 

"Falei Meirelles porque, hoje, estou com esse nome na cabeça. Repito: fiquei muito bem impressionado com a conversa que tive com ele. Então, confesso que se eu tivesse que assumir hoje, o ministro da Fazenda seria ele. Mas, nenhum de nós sabe o que vai acontecer amanhã", afirma. Já sobre o senador José Serra (PSDB-SP), o vice-presidente deu a entender que ele não ocuparia nenhum ministério da área econômica, mas da área social. Temer insinuou mais concretamente que Serra deve ser ministro da Educação de um eventual governo. 

Ações em destaque

As ações da Petrobras (PETR3, R$ 12,78, +3,40%; PETR4, R$ 9,67, +3,64%), tiveram alta, acompanhando os preços do petróleo. O barril do WTI (West Texas Intermediate) sobe 3,28% a US$ 44,04, ao mesmo tempo em que o barril do Brent tinha ganhos de 2,96% a US$ 45,63.

No noticiário da estatal, ela informou em comunicado divulgado ao mercado na noite anterior, que a decisão da Justiça Federal do Rio de Janeiro não suspende a venda de 49% das ações de sua subsidiária Gaspetro para a japonesa Mitsui. Segundo a estatal, o juiz determinou, sim, que a Mitsui não poderá dispor das ações adquiridas. Com isso, a Mitsui não poderá fazer quaisquer negócios com os papéis, como vendê-las.

Conforme O Globo publicou ontem, a Justiça Federal do Rio concedeu liminar atendendo à Federação Única dos Petroleiros (FUP), que pedia a suspensão da venda. A Petrobras foi procurada anteontem mas não respondeu sobre o tema até o encerramento da edição do jornal. Ontem, a empresa afirmou que a liminar não suspendeu a venda, como noticiado pelo jornal, mas, sim, impediu a Mitsui de “dispor das ações”.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.

Ativo

Cot R$

% Dia

% Ano

 RUMO3

RUMO LOG ON

4,27

+8,10

-31,57

 RENT3

LOCALIZA ON

32,95

+7,22

+34,38

 GGBR4

GERDAU PN

7,67

+5,79

+64,95

 VALE5

VALE PNA

14,81

+4,59

+44,49

 BBAS3

BRASIL ON

21,75

+4,57

+48,44

Dentro do setor mais pesado no Ibovespa, o financeiro, bancos grandes subiran. Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 32,49, +3,47%), Bradesco (BBDC3, R$ 28,37, +3,13%; BBDC4, R$ 25,86, +3,61%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 21,75, +4,57%) avançaram. Juntas, as quatro ações respondem por pouco mais de 20% da participação na carteira teórica do nosso benchmark.

Já a Vale (VALE3, R$ 18,69, +3,49%; VALE5, R$ 14,81, +4,59%) terminou em alta após cair durante parte da sessão, quando acompanhou o minério de ferro. A commodity spot com 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao teve baixa de 4,98% a US$ 62,78.

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.

Ativo

Cot R$

% Dia

% Ano

 OIBR4

OI PN

1,07

-3,60

-45,13

 CSAN3

COSAN ON

30,62

-1,80

+25,14

 UGPA3

ULTRAPAR ON

72,13

-1,33

+20,87

 HGTX3

CIA HERING ON

14,09

-1,19

-7,36

 HYPE3

HYPERMARCAS ON ED

28,76

-0,86

+32,65

As ações da Oi (OIBR4, R$ 1,07, -3,60%) terminaram esta sessão em queda após disparar 20,65% na véspera. O mercado repercute a notícia do  acordo de confidencialidade para que a Moelis & Company assessore um grupo de detentores de bônus emitidos pela companhia e algumas de suas afiliadas com vistas à reestruturação da dívida da companhia brasileira.

Conforme a Oi, o acordo de confidencialidade celebrado com a Moelis "configura passo inicial para discussões produtivas e ágeis" sobre uma potencial reestruturação financeira da operadora. Fontes familiarizadas com a situação disseram à Reuters que a Oi iniciará conversas para reestruturar US$ 14 bilhões em bônus.

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 

 Código

Ativo

Cot R$

Var %

Vol1

 VALE5

VALE PNA

14,81

+4,59

692,38M

 PETR4

PETROBRAS PN

9,67

+3,64

385,23M

 VALE3

VALE ON

18,69

+3,49

293,46M

 ITUB4

ITAUUNIBANCOPN

32,49

+3,47

283,30M

 BBAS3

BRASIL ON

21,75

+4,57

273,52M

 ABEV3

AMBEV S/A ON

19,24

+0,58

251,75M

 BBDC4

BRADESCO PN EB

25,86

+3,61

203,79M

 CIEL3

CIELO ON

32,76

+3,02

135,59M

 BBSE3

BBSEGURIDADEON

31,39

+0,45

133,80M

 GGBR4

GERDAU PN

7,67

+5,79

130,96M

* - Lote de mil ações 

1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão) 

1º dia de comitês de política monetária
Hoje é o primeiro dia da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que definirá a taxa de juros básica da economia brasileira. Economistas esperam que a Selic se mantenha em 14,25%, mas é preciso ficar atento ao comunicado, pois uma votação unânime, com votos a favor da manutenção pelos diretores de liquidações, Sidnei Corrêa Marques e de Assuntos Internacionais, Tony Volpon, pode mostrar que pode haver um relaxamento monetário em breve. Volpon e Corrêa são considerados os membros mais hawkish (agressivo, no sentido de elevar juros) do comitê. 

Hoje também é o primeiro dia de reunião do Fomc (Federal Open Market Committee), que definirá as taxas de juros básicas dos Estados Unidos. 

Dados dos EUA
Às 11h saiu o indicador de confiança do consumidor nos EUA. O número veio bem abaixo do esperado, mostrando uma pontuação de 94,2 em abril, contra 96,7 esperados pela mediana dos economistas. Em março, o dado foi de 96,1 pontos. 

A queda na confinaça do consumidor norte-americano é um dos fatores reduzem as chances do Fomc elevar os juros no curto prazo. Como resultado, o mercado começou a precificar a primeira alta de juros do Federal Reserve este ano para agosto, segundo pesquisa da CNBC. Anteriormente, os investidores viam um aumento das taxas como provável de acontecer em junho. 

Cenário externo
As bolsas chinesas devolveram as perdas iniciais na sessão desta terça-feira e fecharam em alta, com os ganhos dos setores imobiliário e de saúde compensando a fraqueza inicial provocada pela queda dos preços das commodities.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,54%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,64%. No restante do continente, a maioria dos índices fechou com ganhos, com os investidores se preparando para as reuniões de política monetária dos bancos centrais dos Estados Unidos e do Japão nesta semana.

As bolsas europeias terminaram a sessão entre perdas e ganhos: o DAX teve queda de 0,34%, o FTSE fechou em alta de 0,38% e o CAC 40 acabou com baixa de 0,28%, também à espera dos encontros de política monetária.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247