Imigrante síria é agredida por defensores da intervenção militar na av. Paulista

Sara Ajlyakin é síria e vive no Brasil há quatro anos; estava indo para a casa, no último sábado (31), quando, ao passar pela avenida Paulista, foi agredida por pessoas que faziam manifestação em apoio ao golpe de 64; “Eles me atacaram, me jogaram no chão, puxaram meu cabelo, me bateram na cara, cuspiram em min, chamaram Marielle de vagabunda", desabafou

Imigrante síria é agredida por defensores da intervenção militar na av. Paulista
Imigrante síria é agredida por defensores da intervenção militar na av. Paulista

Por Julinho Bittencourt, da Revista Fórum - Sara Ajlyakin é síria e vive no Brasil há quatro anos. Socióloga e ativista, saiu de seu país por conta da guerra e mora em São Paulo desde então. Estava indo para a casa, no último sábado (31), logo após almoçar com amigos, no mesmo caminho que sempre faz quando, ao passar pela avenida Paulista, em frente ao Masp, foi agredida por pessoas que faziam manifestação em apoio ao golpe de 64.

Sara passou pelo local filmando o ato. Por coincidência, estava vestida de vermelho, fato que chamou a atenção e gerou hostilidade de algumas pessoas que participavam da manifestação. Em determinado momento, indignada com tudo aquilo, gritou: “Marielle Presente”. De acordo com ela, isso pareceu ter sido a senha para uma reação desmedida.

Leia aqui a íntegra.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247