Inaguração da Arena PE terá protesto contra Dilma

A União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), em parceria com os órgãos de classe do setor canavieiro, promete atrapalhar a festa de inauguração da Arena Pernambuco, prevista para o próximo dia 20, e que contará com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT); Os canaveiros pretendem protestar contra o veto presidencial referente à concessão de benefícios fiscais aos mais de 21 produtores de cana de açúcar afetados pela pior seca dos últimos 50 anos; “Mostraremos nossa insatisfação, seja em Pernambuco, ou em qualquer outro evento presidencial no Nordeste”, declarou o presidente da Unida, Alexandre Lima

Inaguração da Arena PE terá protesto contra Dilma
Inaguração da Arena PE terá protesto contra Dilma

Leonardo Lucena_PE247 – A União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), em parceria com os órgãos de classe do setor canavieiro, promete atrapalhar a festa de inauguração da Arena Pernambuco com a realização de um protesto contra a presidente Dilma Rousseff (PT). A visita presidencial foi confirmada para o próximo dia 20. O estopim do protesto foi o veto da petista aos subsídios econômicos à  21 mil produtores de cana de açúcar afetados pela maior seca dos últimos 50 anos.. O setor canavieiro classificou o veto como uma “insensibilidade presidencial”.

“Mostraremos nossa insatisfação seja em Pernambuco, ou em qualquer outro evento presidencial no Nordeste”, declarou o presidente da Unida, Alexandre Lima. De acordo com dados do Sindicato das Indústrias do Açúcar e do Álcool (Sindaçúcar-PE), houve uma redução de quase 25% na produção de cana de açúcar, ao passar de 17.515.890 toneladas na safra 2011/2012 (setembro a março) para 12.149.783 na safra seguinte – 2012/2013. A produção de etanol também foi afetada, ao cair de 357.606 metros cúbicos (m³) para 265.219 m³.

Os municípios mais atingidos pela queda na produção de cana são os da Zona da Mata, onde 102.233 pessoas foram afetadas pela estiagem. Segundo o último balanço divulgado pela Secretaria Estadual de Agricultura e Reforma Agrária, 13 dos 43 municípios da região decretaram estado de emergência, sete deles reconhecidos. Em nível estadual, a seca atingiu 134 municípios pernambucanos (127 reconhecidos) e afetou 1.389.621. “O Congresso Nacional pode vetar o veto da presidente, e é isso que vamos solicitar”, disse Alexandre Lima.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247