Indústria goiana tem 2º maior crescimento do País

Estado de Goiás teve o segundo maior crescimento na produção industrial do País em janeiro, segundo o IBGE; índice aponta expansão de 2,4% na indústria goiana, enquanto a média nacional registrou queda de 0,1%, na comparação entre janeiro e dezembro de 2016; maior alta foi registrada no Espírito Santo (4,1%); taxa de produção industrial de Goiás também subiu no comparativo entre janeiro de 2017 com o mesmo mês de 2016; nesse caso, o salto foi de 8,5%

Estado de Goiás teve o segundo maior crescimento na produção industrial do País em janeiro, segundo o IBGE; índice aponta expansão de 2,4% na indústria goiana, enquanto a média nacional registrou queda de 0,1%, na comparação entre janeiro e dezembro de 2016; maior alta foi registrada no Espírito Santo (4,1%); taxa de produção industrial de Goiás também subiu no comparativo entre janeiro de 2017 com o mesmo mês de 2016; nesse caso, o salto foi de 8,5%
Estado de Goiás teve o segundo maior crescimento na produção industrial do País em janeiro, segundo o IBGE; índice aponta expansão de 2,4% na indústria goiana, enquanto a média nacional registrou queda de 0,1%, na comparação entre janeiro e dezembro de 2016; maior alta foi registrada no Espírito Santo (4,1%); taxa de produção industrial de Goiás também subiu no comparativo entre janeiro de 2017 com o mesmo mês de 2016; nesse caso, o salto foi de 8,5% (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O Estado de Goiás teve o segundo maior crescimento na produção industrial do País em janeiro, segundo a Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice, divulgado nesta terça-feira, dia 13, aponta expansão de 2,4% na indústria goiana, enquanto a média nacional registrou queda de 0,1%, na comparação entre janeiro e dezembro de 2016. A maior alta foi registrada no Espírito Santo (4,1%).

Apesar da queda na média nacional, nove das 14 regiões pesquisadas tiveram crescimento na produção industrial: além do Espírito Santo e Goiás, Pará (2,4%), Pernambuco (2,1%), São Paulo (1%), Minas Gerais (0,7%), Santa Catarina (0,6%), Amazonas (0,5%) e Rio de Janeiro (0,3%). Bahia (-4,3%), Ceará (-3,4%), Rio Grande do Sul (-3,1%) e Paraná (-0,8%) recuaram.

A taxa de produção industrial de Goiás também subiu no comparativo entre janeiro de 2017 com o mesmo mês de 2016. Nesse caso, o salto foi de 8,5%. De acordo com a pesquisa do IBGE, os setores que impulsionaram o crescimento foram os de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (91%) e de produtos alimentícios (9,1%).

A produção alimentícia é exatamente a que tem o maior peso no setor industrial de Goiás. Segundo o IBGE, ela foi beneficiada pelo aumento na produção de leite esterilizado, tortas, bagaços, farelos e outros resíduos da produção do óleo de soja, além do próprio óleo de soja bruto, milho doce preparado e conservado e óleo de soja refinado.

Também se destacaram os produtos químicos (24,5%), principalmente adubos e fertilizantes com fósforo e potássio. Em contrapartida, houve recuo na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias (-56,7%).

A Pesquisa Industrial Mensal também demonstra que é o segundo mês consecutivo em que a indústria goiana registra crescimento, em comparação com o mês anterior. No acumulado de dezembro e janeiro, a alta chegou a 7,2%.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247