Inocêncio diz que PR apoiaria Eduardo em 2014

O posicionamento do deputado federal Inocêncio Oliveira (PR-PE) reforça a tese de que vários parlamentares de legendas aliadas ao PT no Congresso Nacional estão insatisfeitos com o tratamento dispensado pela presidente Dilma Rousseff. "Há muitas reclamações na Câmara sobre isso e cada vez mais ela parece que se isola dos políticos porque ela gosta mais dos técnicos", disse Inocêncio Oliveira em entrevista ao jornal Folha de Pernambuco

Inocêncio diz que PR apoiaria Eduardo em 2014
Inocêncio diz que PR apoiaria Eduardo em 2014
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leonardo Lucena _PE247 – Após o presidente estadual do PSD, André de Paula, praticamente oficializar o apoio do seu partido ao governador do Estado, Eduardo Campos (PSB), caso o socialista marche rumo ao Palácio do Planalto, foi a vez de Inocêncio Oliveira (PR), deputado federal por dez anos seguidos, afirmar que, se o projeto de Eduardo se concretizar já em 2014, o PR apoiará o chefe do Executivo estadual.

O deputado diz que ajudará a presidente Dilma Rousseff (PT) no que for possível para ela tentar a reeleição com boas chances de vitória. Porém, segundo o parlamentar, a petista não mantém diálogo com os deputados federais porque "gosta mais dos técnicos do que dos políticos", o que justifica o apoio a Eduardo Campos.

O posicionamento de Inocêncio reforça a tese de que vários parlamentares de legendas aliadas ao PT no Congresso Nacional estão insatisfeitos com o tratamento dado pela presidente Dilma. De acordo com o congressista, deve haver diálogo tanto com os técnicos quanto com os políticos a fim de resolver os problemas do país.

"Há muitas reclamações na Câmara sobre isso e cada vez mais ela parece que se isola dos políticos porque ela gosta mais dos técnicos do que dos políticos. Eu acho que compatibilizar os técnicos com políticos é condição fundamental para que possamos fazer um governo que ouça a sociedade e resolva os problemas", disse o deputado em entrevista ao jornal Folha de Pernambuco.

Economia

A política econômica do governador Eduardo Campos é outro fator que justifica ao apoio do PR ao socialista devido, principalmente, à descentralização dos investimentos e ao crescimento do Estado acima da médica nacional. "O governador Eduardo Campos fez o modelo de gestão que é hoje copiado por todos ou quase todos os estados brasileiros. Faz com que a interiorização do desenvolvimento seja realidade", disse. "Pernambuco era uma cobra de uma cabeça só e um corpo atrofiado, 9% do território produzia 85% das riquezas, deixando o resto produzindo 15%, mas o governador Eduardo Campos percebeu isso", acrescentou.

A defesa de um novo Pacto Federativo por parte de Eduardo também é outro fator que tem atraído o apoio de diversas forças políticas espalhadas pelo Brasil afora em meio às críticas dos prefeitos à presidente Dilma por conta da crise financeira pela qual passam os municípios brasileiros. Oliveira não duvidou em apoiar o governador pernambucano. "Eu estarei firme ao seu lado para defender tudo aquilo que ele acredita, que é o novo pacto federativo, que é uma melhor distribuição de renda no País, que é, sobretudo, o modelo de gestão que privilegie o segmento mais pobre", declarou.

Por outro lado, o parlamentar não descartou o apoio do seu partido a presidente Dilma, se Eduardo Campos não for candidato à presidência em 2014. "Nós vamos ajudar Dilma, ver se ela vence 2013. Se ela vencer 2013 será candidata natural e se não vencer, será candidata sem muitas condições de ganhar. Por isso, acredito que devemos esperar e ajudar no que for possível. Se depender de mim, ajudo ela no que for possível para enfrentar as dificuldades e para que ela possa ser candidata forte em 2014", acrescentou.

Popularidade

De qualquer maneira, vale ressaltar que a presidente Dilma ainda mantém popularidade superior a 70% -- apesar de o Produto Interno Bruto (PIB) nacional ter crescido apenas 1% em 2012, o nível de desemprego segue na casa dos 5%, o que tem sido o suficiente para a presidente manter a confiança da maioria do eleitorado brasileiro.

Campos, por sua vez, goza de alta popularidade no Nordeste – em Pernambucano, como destacou a revista Época (leia mais), o socialista governa com uma popularidade recorde de 89%, de acordo com a última pesquisa. E, conforme Inocêncio afirmou, ainda em entrevista à Folha de Pernambuco, tanto Eduardo depende de Dilma quanto ela depende dele.

Os apoios declarados a Eduardo Campos por parte do presidente do PSD em Pernambuco, André de Paula, o do deputado Inocêncio de Oliveira, podem ser o começo de apoios com um teor de "oficialização antecipada" que estão por vir. Resta saber se isso será suficiente para o governador se candidatar a presidente ou se vai esperar 2018.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247