Inovação tecnológica reforça segurança pública

Governador Marconi Perillo e secretário José Eliton, lançam Plataforma de Sistemas Integrados (PSI), que impulsiona rede de combate à criminalidade no Estado; programas e aplicativo RAI, I9X, Mopi, Masi e Gisgestão promovem integração e aperfeiçoamento nas formas de atendimento ao usuário; “É um ganho muito grande. As forças de segurança já atuam de forma incisiva e, agora, terão condições de realizar um trabalho cada vez mais amplo no combate ao crime”, afirma Eliton

Governador Marconi Perillo e secretário José Eliton, lançam Plataforma de Sistemas Integrados (PSI), que impulsiona rede de combate à criminalidade no Estado; programas e aplicativo RAI, I9X, Mopi, Masi e Gisgestão promovem integração e aperfeiçoamento nas formas de atendimento ao usuário; “É um ganho muito grande. As forças de segurança já atuam de forma incisiva e, agora, terão condições de realizar um trabalho cada vez mais amplo no combate ao crime”, afirma Eliton
Governador Marconi Perillo e secretário José Eliton, lançam Plataforma de Sistemas Integrados (PSI), que impulsiona rede de combate à criminalidade no Estado; programas e aplicativo RAI, I9X, Mopi, Masi e Gisgestão promovem integração e aperfeiçoamento nas formas de atendimento ao usuário; “É um ganho muito grande. As forças de segurança já atuam de forma incisiva e, agora, terão condições de realizar um trabalho cada vez mais amplo no combate ao crime”, afirma Eliton (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Governador Marconi Perillo, vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton, lançam Plataforma de Sistemas Integrados (PSI), que impulsiona rede de combate à criminalidade no Estado. Programas e aplicativo RAI, I9X, Mopi, Masi e Gisgestão promovem integração e aperfeiçoamento nas formas de atendimento ao usuário

O governador Marconi Perillo e o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), José Eliton, e o secretário de Desenvolvimento (SED), Thiago Peixoto, lançaram nesta quarta-feira (06/04), a Plataforma de Sistemas Integrados (PSI), que é composta pelos programas Registro de Atendimento Integrado (RAI), Sistema Geográfico de Informação (Gisgestão), Mapeamento de Operações Policiais Integradas (Mopi), Mapeamento de Ações Sociais Integradas (Masi) e o Aplicativo de Integração entre Polícia e Cidadão (I9X).

Os novos programas modernizam ainda mais a rede de segurança do Estado por meio de soluções tecnológicas e investimentos em inteligência. Ainda durante a cerimônia de lançamento, foram assinadas ordens de serviços para o aperfeiçoamento e melhoria dos procedimentos policiais adotados em Goiás.

Os programas lançados integram o maior Programa Estadual de Inovação e Tecnologia, o Inova Goiás, lançado em setembro de 2015, quando José Eliton era o secretário de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED).

Ao falar dos programas, José Eliton explicou que Goiás recebe uma plataforma (PSI) que é exemplo para o Brasil. Mais que isso: segundo ele, o Estado será um dos primeiros do País a ter uma estrutura que vai fortalecer o aparato de segurança pública. “É um ganho muito grande. As forças de segurança já atuam de forma incisiva e, agora, terão condições de realizar um trabalho cada vez mais amplo no combate ao crime”, afirma.

José Eliton ressaltou ainda que Goiás é o estado brasileiro que mais investe proporcionalmente em segurança. Ele também elogiou a atuação das polícias Civil e Militar no combate ao crime. Segundo ele, graças à atuação incisiva das forças de segurança, março foi um mês de redução da criminalidade nas mais diversas áreas. Ele cita que foi o menor número de homicídios e furtos e roubos de veículos dos últimos seis meses. “Estamos no caminho certo. Com ações integradas e investimentos, tenho certeza que Goiás vai vencer a criminalidade”, disse.

Integração no atendimento

O RAI, que é a base da plataforma PSI, vem para mudar a dinâmica do principal instrumento utilizado pelas forças de segurança no curso inicial de qualquer tratativa de evento: a ocorrência ou notificação de crime. Ou seja, a implantação do programa não será uma mera mudança tecnológica, mas uma mudança de paradigma que tem impacto direto na cultura das instituições.

O RAI foi desenvolvido para que as instituições que compõem o Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle (CIICC) possam utilizá-lo, ou, caso possuam sistemas próprios, que esses interajam com o novo programa enviando e recebendo dados de maneira automática e em tempo real. Com o programa, as forças policiais em todo o Estado terão um retrato em tempo real de todos os crimes praticados em Goiás, pois reúne no mesmo local registros de atendimentos e ocorrências.

Vão integrar o RAI em sua fase inicial a Polícia Militar, a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros Militar e a Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC). Na etapa seguinte, a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (SEAP) também será inserida no sistema.

Com o advento do lançamento do RAI, tanto a população quanto as instituições de segurança devem ser beneficiadas, pois não haverá mais a necessidade de se fazer diferentes registros para o mesmo caso. Haverá, ainda, a unificação das fontes de informações e a diminuição das subnotificações, o que deve melhorar sobremaneira a capacidade investigativa das forças policiais.

Ações como o acompanhamento por meio de registro único dentro do setor de segurança e o rastreamento do evento pela fase de inquérito, judiciário, e, posteriormente, da execução penal, auxiliarão nas políticas públicas e retroalimentação do sistema de informações a ser acessado por todos os agentes de segurança.

Análise Criminal Geográfica

O Sistema Geográfico de Informação (GisGestão) é um software de análise criminal e geoprocessamento que disponibilizará em tempo real todas as avaliações dos crimes considerados de alta prioridade e os convertidos em metas de redução pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciaria para a elaboração das estratégias policiais e planejamento de emprego operacional e investigativo.

O sistema disponibiliza, por exemplo, os locais, dias da semana e horários de maior incidência dos registros, mapas de manchas criminais até o nível de rua, bem como o modus operandi, perfil da vítima e autor e demais dinâmicas de ocorrências dos crimes. A partir desse mapa, as forças de segurança poderão analisar, planejar e implementar ações mais efetivas no combate à criminalidade, convertendo os dados em estratégia.

Operações Policiais Integradas

Após a análise dos dados de manchas criminais em todas as regiões do Estado, entra em ação o sistema de Mapeamento de Operações Integradas (Mopi), responsável pelo planejamento e monitoramento de todas as ações e/ou operações integradas dentro das 36 Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP) do Estado de Goiás. Seu objetivo é otimizar todas as estratégias para que sejam atingidas as metas de redução de criminalidade e aumento de proatividade das forças policiais.

Assim, os comandantes das polícias Militar e Civil de cada região vão traçar estratégias para combater a criminalidade. O aplicativo registra o plano de operação definido por cada força policial e permite o acompanhamento das informações. Esta é a resposta prática contra o crime, de forma integrada e organizada.

Eixo social

Por fim, o Mapeamento de Ações Sociais Integradas (Masi), é um sistema que objetiva a pacificação, por meio da redução de crimes contra pessoas e ao patrimônio, bem como a inibição ao tráfico de drogas. Com ele, ações transversais serão planejadas, controladas e executadas pelo programa, criando uma rede ativa entre Estado, municípios, União, setor público-privado e organismos internacionais.

Pelo celular

Com a criação do aplicativo de Integração entre Polícia e Cidadão (I9X), a Segurança Pública de Goiás ganha importantes avanços tecnológicos para o usuário que precisar abrir ocorrências de roubo, homicídio, incêndio, agressão, acidente pessoal, atitude suspeita, violência doméstica, acidente com vítima e outros, inclusive com envio de fotos, vídeos e mensagens de voz. Por ele, também será possível acompanhar o deslocamento de viaturas. O cidadão poderá conversar com o atendente via chat e fazer, inclusive, novas denúncias.

A inovação na prestação desses serviços pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária visa o aperfeiçoamento da segurança no Estado e está inserida no processo de modernização da estrutura administrativa estadual.

A partir de agora, os usuários terão acesso aos serviços dos telefones 190 (Polícia Militar), 193 (Corpo de Bombeiros) e 197 (Polícia Civil). Para abrir uma ocorrência, deve selecionar o ícone que melhor se aproxima da situação. Imediatamente, o sistema gera a ocorrência, dando início à conversa com o usuário, além de avisar a unidade competente. O atendente informa as providências e o solicitante terá a prerrogativa de acompanhar o deslocamento e a chegada da viatura.

Para fazer o download do aplicativo, o usuário precisa ter apenas um aparelho smartphone com sistema operacional Android ou IOS, dispor de pacote de internet ativo e preencher os dados para habilitação durante o primeiro acesso. O cadastro pode ser feito com a conta do Facebook ou diretamente no aparelho celular, bastando informar nome, sexo, e-mail, telefone e data de nascimento. Quanto maior a velocidade de navegação, melhor será a transmissão de dados (imagens, áudios e vídeos).

280 câmeras serão instaladas

O governador Marconi Perillo e o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton, assinaram nesta quarta-feira (6/4), ordem de serviço para contratação de novas câmeras que integrarão o sistema de videomonitoramento da Capital. Os novos equipamentos serão somados aos 150 já existentes, totalizando 430 pontos com transmissão em tempo real.

Os equipamentos a serem adquiridos serão dotados de recursos analíticos (que identifica movimento, pessoas estranhas, objetos abandonados, etc), bem como leitor de placas. As câmeras, com tecnologia Full HD (alta definição), serão instaladas em pontos estratégicos e vão transmitir imagens ao Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle da SSPAP.

Para a aquisição dos equipamentos o Estado firmará um contrato com uma empresa que prevê a locação dos equipamentos por 48 meses. Nesse período a empresa prestará total assistência técnica. Após os 4 anos, as câmeras passam a ser do Estado. O valor do contrato, que prevê, portanto, a locação e posterior repasse dos equipamentos, instalação e assistência, é de mais de R$ 17 milhões.

Passado o período licitatório e assinatura de contrato, a empresa terá um prazo de 4 meses para a instalação total dos equipamentos. Acredita-se que até o início de maio as instalações iniciem, ou seja, até o final de agosto estarão todas instaladas.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247