INSS suspende quase 3 mil benefícios em Alagoas

A revisão dos benefícios previdenciários do auxílio-doença detectou algum tipo de irregularidade em 3.205 alagoanos, mas até agora 2.527 tiveram o cancelamento do benefício imediatamente após a realização dos exames; revisão dos benefícios no País já atingiu 200 mil beneficiários, resultando em 80% de cancelamentos

A revisão dos benefícios previdenciários do auxílio-doença detectou algum tipo de irregularidade em 3.205 alagoanos, mas até agora 2.527 tiveram o cancelamento do benefício imediatamente após a realização dos exames; revisão dos benefícios no País já atingiu 200 mil beneficiários, resultando em 80% de cancelamentos
A revisão dos benefícios previdenciários do auxílio-doença detectou algum tipo de irregularidade em 3.205 alagoanos, mas até agora 2.527 tiveram o cancelamento do benefício imediatamente após a realização dos exames; revisão dos benefícios no País já atingiu 200 mil beneficiários, resultando em 80% de cancelamentos (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - A revisão dos benefícios previdenciários do auxílio-doença no País já atingiu 200 mil beneficiários, resultando em 80% de cancelamentos. Em Alagoas, a meta é atingir 9.026 pessoas. Até, agora, no Brasil foram suspensos 168.396. 

No Estado o órgão detectou algum tipo de irregularidade em 3.205, incluindo-se quem não compareceu, num universo 3.547 perícias realizadas, até a primeira quinzena de julho. Ao todo, no Estado o INSS precisa revisar 9.026 casos.

Efetivamente foram periciados 2.727 pessoas, destes 2.527 tiveram o cancelamento do benefício imediatamente após a realização dos exames, enquanto outros 200 tinham indicação de suspensão em até 90 dias.

Os dados são do Blog Previdência e Você, assinado pelo coordenador de educação previdenciária, em Alagoas, o radialista e advogado Marcelo Lima do INSS.

Ele lembrou, ainda, que o processo está atrelado a uma medida administrativa, prevista em na lei 823/1991, mas que nunca havia sido realizado.

Lima ressalta que quem teve o benefício suspenso tem 30 dias após a data do cancelamento para recorrer administrativamente da medida.

“O recurso pode ser feito de forma administrativa, na própria agência onde a pessoa fez o exame, sem nenhum custo adicional, bastando apenas a entrega dos documentos exigidos”, disse ele.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247