IPTU: reajuste segue sem acordo entre vereadores

Foi realizada na manhã desta segunda-feira, na Câmara Municipal, mais uma audiência pública para debater o aumento de 60% no valor do IPTU; vereadores de oposição, entidades classistas e moradores se mostraram contra a proposta do prefeito Paulo Garcia (PT) e consideram o reajuste abusivo; vereadores da base não assumes, mas a maioria também rejeita o aumento de 60% e nos bastidores tentam convencer o Paço a recuar para 30%; prefeitura quer votar o projeto na Câmara ainda esta semana

Foi realizada na manhã desta segunda-feira, na Câmara Municipal, mais uma audiência pública para debater o aumento de 60% no valor do IPTU; vereadores de oposição, entidades classistas e moradores se mostraram contra a proposta do prefeito Paulo Garcia (PT) e consideram o reajuste abusivo; vereadores da base não assumes, mas a maioria também rejeita o aumento de 60% e nos bastidores tentam convencer o Paço a recuar para 30%; prefeitura quer votar o projeto na Câmara ainda esta semana
Foi realizada na manhã desta segunda-feira, na Câmara Municipal, mais uma audiência pública para debater o aumento de 60% no valor do IPTU; vereadores de oposição, entidades classistas e moradores se mostraram contra a proposta do prefeito Paulo Garcia (PT) e consideram o reajuste abusivo; vereadores da base não assumes, mas a maioria também rejeita o aumento de 60% e nos bastidores tentam convencer o Paço a recuar para 30%; prefeitura quer votar o projeto na Câmara ainda esta semana (Foto: José Barbacena)

Goiás247 - Com a presença de vários secretários da prefeitura e com o Auditório Jaime Câmara lotado por populares e representantes de segmentos sociais, aconteceu hoje pela manhã, a última Audiência Pública para discutir o Projeto do Executivo que trata da Planta de Valores e reajustará o IPTU e ITU da Capital.

A reunião mostrou que ainda não um consenso entre os vereadores sobre o aumento proposto pelo prefeito Paulo Garcia (PT). Os vereadores de oposição consideram o reajuste de 60% abusivo. Entre os vereadores da base há grande indecisão. Publicamente, poucos são aqueles que têm coragem de revelar sua posição. A maioria acha o valor alto e defende um aumento de 30%, que poderia ser sugerido durante a passagem do projeto pela Comissão de Constituição e Justiça.

A prefeitura quer votar a matéria esta semana e Paulo Garcia pode sofrer sua primeira grande derrota na Câmara. O primeiro a falar na audiência foi o secretário de Finanças do Município, Jeovalter Correia, que defendeu a necessidade de se reajustar o valor dos tributos, que segundo ele vão ser investidos em obras e serviços públicos no município.

Todos os vereadores de oposição que subiram na tribuna discursaram contra o aumento no valor do imposto e criticaram a gestão da prefeitura. 

A presidente da Acieg (Associação Comercial e Industrial de Goiás), Helenir Queiroz, manifestou a posição contrária do órgão quanto ao reajuste e criticou Paulo Garcia, afirmando que a cidade está abandonada, sem dono e pediu ainda, que a Prefeitura mostre à população, onde está sendo usado o dinheiro público.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247