Ivan Valente acusa Temer de mentir sobre a Petrobras

O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou Michel Temer, que disse ter salvado a vida da estatal; "Mentira! Na verdade deixou o povo brasileiro à mercê do aumento abusivo dos preços dos combustíveis. Política de preços irresponsável afunda ainda mais a economia, gera inflação e cobra a conta dos consumidores", afirmou o parlamentar

O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou Michel Temer, que disse ter salvado a vida da estatal; "Mentira! Na verdade deixou o povo brasileiro à mercê do aumento abusivo dos preços dos combustíveis. Política de preços irresponsável afunda ainda mais a economia, gera inflação e cobra a conta dos consumidores", afirmou o parlamentar
O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou Michel Temer, que disse ter salvado a vida da estatal; "Mentira! Na verdade deixou o povo brasileiro à mercê do aumento abusivo dos preços dos combustíveis. Política de preços irresponsável afunda ainda mais a economia, gera inflação e cobra a conta dos consumidores", afirmou o parlamentar (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) criticou Michel Temer, que, na última terça-feira (15) disse ter salvado a vida da Petrobras.

"Mentira! Na verdade deixou o povo brasileiro à mercê do aumento abusivo dos preços dos combustíveis. Política de preços irresponsável afunda ainda mais a economia, gera inflação e cobra a conta dos consumidores", afirmou o parlamentar.

Em evento da comemoração de dois anos de governo, Temer afirmou que recebeu a estatal "em colapso, mas hoje é com alegria que anunciamos que a empresa está recuperada e teve quase R$ 7 bilhões de lucro no primeiro trimestre".

Valente também criticou o fim do Fundo Soberano, criado em 2008 como uma espécie de "poupança". "Depois da farra do REFIS, do FUNRURAL, das desonerações, a conta estoura e Temer mira no Fundo Soberano. Era a equipe econômica dos sonhos do mercado financeiro, agora está mais para a Argentina de Macri, deixando o país vulnerável às crises externas", complementou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247