"Já me considero fora do PDT", diz Marcelo Nilo

O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, reafirma que se a criação do Partido Liberal (PL) acontecer até o final deste mês, oito ou nove parlamentares migrarão para sigla; magoado, o deputado diz que nunca deixou de cumprir acordo e que perdeu a confiança no PDT; "Já me considero fora do PDT, que está mudando de rumo. Ainda não assinei nada por questões legais. A presidência da legenda distribuiu os diretórios estaduais sem o meu consentimento. O diretório de Feira de Santana, por exemplo, foi dado a Félix. Fui ingênuo de confiar nas pessoas"

O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, reafirma que se a criação do Partido Liberal (PL) acontecer até o final deste mês, oito ou nove parlamentares migrarão para sigla; magoado, o deputado diz que nunca deixou de cumprir acordo e que perdeu a confiança no PDT; "Já me considero fora do PDT, que está mudando de rumo. Ainda não assinei nada por questões legais. A presidência da legenda distribuiu os diretórios estaduais sem o meu consentimento. O diretório de Feira de Santana, por exemplo, foi dado a Félix. Fui ingênuo de confiar nas pessoas"
O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, reafirma que se a criação do Partido Liberal (PL) acontecer até o final deste mês, oito ou nove parlamentares migrarão para sigla; magoado, o deputado diz que nunca deixou de cumprir acordo e que perdeu a confiança no PDT; "Já me considero fora do PDT, que está mudando de rumo. Ainda não assinei nada por questões legais. A presidência da legenda distribuiu os diretórios estaduais sem o meu consentimento. O diretório de Feira de Santana, por exemplo, foi dado a Félix. Fui ingênuo de confiar nas pessoas" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, reafirmou na segunda-feira (10) que se a criação do Partido Liberal (PL) acontecer até o final deste mês, oito ou nove parlamentares migrarão para sigla.

"Se o PL for criado só após setembro, eu irei sozinho. Vou pedir que os deputados fiquem, pois vão ter dificuldades na base em 2016. Vou redistribuir os 47 prefeitos aliados e quem ficar no PDT não terá nenhuma relação comigo".

Nilo disse que nunca deixou de cumprir acordo e que perdeu a confiança no PDT. "Já me considero fora do PDT, que está mudando de rumo. Ainda não assinei nada por questões legais. A presidência da legenda distribuiu os diretórios estaduais sem o meu consentimento. O diretório de Feira de Santana, por exemplo, foi dado a Félix. Fui ingênuo de confiar nas pessoas".

Questionado se existia um 'plano B' para o caso de a criação do PL não dar certo, o presidente da Assembleia disse que está "convencido de que o 'plano A' vai dar certo" e reiterou ainda que quer chegar "forte" em 2018. "Meu sonho foi adiado por mais 04 anos. Quero chegar na chapa majoritária. Tive uma falha na vida pública que foi não ser presidente de partido. Creio que em 2018, os deputados estarão conosco".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email