Janaína fica na lanterna em concurso da USP

Apesar do enorme barulho que faz no Twitter, Janaína Paschoal foi a última colocada entre quatro candidatos em concurso para duas vagas de professor titular de direito penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP); Janaína, que defendia a tese "Direito Penal e Religião - As Várias Interfaces de Dois Temas que Aparentam ser Estanques", teve notas entre 6.4 e 7.2. Alamiro Velludo, primeiro colocado, teve notas entre 9.3 e 9.6

Brasília - Janaína Paschoal, um dos autores do pedido de afastamento da presidenta Dilma Rousseff, na Comissão Especial do Impeachment no Senado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - Janaína Paschoal, um dos autores do pedido de afastamento da presidenta Dilma Rousseff, na Comissão Especial do Impeachment no Senado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - A jurista Janaína Paschoal, uma das redatoras do pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff em 2016, foi a última colocada em um concurso que escolheu os dois novos professores titulares de direito penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Uma das vagas em disputa era a de Miguel Reale Júnior, que se aposentou. Reale também era signatário do pedido de impeachment. A outra era a de Vicente Greco Filho, também já aposentado 

Janaína concorreu com Alamiro Velludo e Ana Elisa Liberatore, que ficaram com as vagas, e Mariângela Magalhães Gama. Janaína, que defendia a tese "Direito Penal e Religião - As Várias Interfaces de Dois Temas que Aparentam ser Estanques", teve notas entre 6.4 e 7.2. Alamiro, primeiro colocado, teve notas entre 9.3 e 9.6.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247