Janot vê ‘fortes indícios de lavagem de dinheiro’ em empresa de Perrella

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou que existem ‘fortes indícios’ de lavagem de dinheiro relacionados a empresas do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) na denúncia por obstrução de Justiça e corrupção passiva contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG); segundo a denúncia, a Tapera Participações, empresa em nome de Gustavo Perrella, filho do senador, foi a destinatária de parte dos R$ 2 milhões entregues pela JBS a Aécio

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou que existem ‘fortes indícios’ de lavagem de dinheiro relacionados a empresas do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) na denúncia por obstrução de Justiça e corrupção passiva contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG); segundo a denúncia, a Tapera Participações, empresa em nome de Gustavo Perrella, filho do senador, foi a destinatária de parte dos R$ 2 milhões entregues pela JBS a Aécio
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou que existem ‘fortes indícios’ de lavagem de dinheiro relacionados a empresas do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) na denúncia por obstrução de Justiça e corrupção passiva contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG); segundo a denúncia, a Tapera Participações, empresa em nome de Gustavo Perrella, filho do senador, foi a destinatária de parte dos R$ 2 milhões entregues pela JBS a Aécio (Foto: Charles Nisz)

Minas 247 - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou que existem ‘fortes indícios’ de lavagem de dinheiro relacionados a empresas do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) na denúncia por obstrução de Justiça e corrupção passiva contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG).

De acordo com a denúncia da PGR, a Tapera Participações, empresa em nome do filho de Perrella, Gustavo Perrella, foi a destinatária de parte dos R$ 2 milhões entregues pela JBS a Aécio. 

Nessa semana, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) comunicou à Procuradoria-Geral da República a identificação de movimentações ‘suspeitas’, nos últimos três anos, que totalizaram R$ 21 milhões nas contas de empresas ligadas a Zezé Perrella. Entre elas, há um saque de R$ 103 mil de Gustavo Perrella.

Também segundo o Coaf, há indícios de lavagem de dinheiro do ‘motorista’ de Zezé Perrella. O documento apontou que a movimentação de recursos da conta de Braulio de Campos Pimenta, em agência do Congresso, é ‘incompatível com o patrimônio e em benefícios de terceiros’.

“Essas evidências demonstram que há fortes indícios de que a empresa ENM Auditoria e Consultoria e a empresa Tapera Participações e Empreendimentos Agropecuários Ltda são utilizadas como instrumento de lavagem de dinheiro de recursos recebidos ilicitamente”, afirma o procurador-geral.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247