Jarbas: cassações podem virar prioridade em 2015

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirmou que existe uma possibilidade de os parlamentares priorizarem a discussão sobre processo de cassação em 2015 em vez de debaterem questões referentes à reforma política; "Acredito que o primeiro semestre no Congresso será muito tumultuado. Posso até estar enganado, mas acho que no lugar de discutir reforma política, a gente vai discutir processo de cassação", disse

Jarbas: cassações podem virar prioridade em 2015
Jarbas: cassações podem virar prioridade em 2015 (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 – O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirmou que existe uma possibilidade de os parlamentares do Congresso Nacional priorizarem a discussão sobre processo de cassação em 2015 em invés de debaterem acerca de questões referentes à reforma política.

"Acredito que o primeiro semestre, no Congresso, será muito tumultuado. Posso até estar enganado, mas acho que no lugar de discutir reforma política, a gente vai discutir processo de cassação", disse o congressista.

Ao falar em cassações, o senador se referiu a possíveis processos contra parlamentares envolvidos no esquema de corrupção na Petrobras, que recebiam propina para beneficiarem empreiteiras em contratos com a estatal, alvo de investigações uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado, de outra CPI Mista (com deputados e senadores) na Câmara Federal, e da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF).

Segundo as investigações da PF, um esquema de lavagem de dinheiro envolvendo político, empreiteiras e a Petrobras movimentou cerca de R$ 10 bilhões. Ainda em prisão domiciliar, o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa afirmou que PT, PMDB e PP foram as principais legendas beneficiadas do esquema. Partidos como PSB e PSDB também foram privilegiados.

Nesta quinta-feira (12), a Justiça Federal no Paraná denunciou 36 pessoas, pelos crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Destas, 22 eram ligadas às empreiteiras envolvidas no esquema. No mesmo dia, o juiz Sérgio Moro, responsável pela condução das investigações, aceitou denúncia contra nove acusados de participação no esquema, dentre eles estão o doleiro Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa.

Durante a entrevista, Jarbas ainda falou sobre a eleição para a presidência da Câmara Federal e disse que votação no deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "Ele defende o que eu defendo. Não quer que o PT seja hegemônico e tem restrições ao autoritarismo do governo", afirmou o peemedebista.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247