Jefferson: “Se fosse o Collor, estaria preso”

Delator do mensalão, que antes inocentava, mas agora acusa o ex-presidente Lula, Roberto Jefferson não vê contradição entre o que ele dizia em 2005 e o que diz hoje; o fato incontestável, no entanto, é que o Brasil embarcou na onda de um fanfarrão e a denúncia começa a desmoronar

Jefferson: “Se fosse o Collor, estaria preso”
Jefferson: “Se fosse o Collor, estaria preso” (Foto: Folhapress)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Na crônica do mensalão, o ex-deputado Roberto Jefferson teve a seu lado, em todos os momentos, a Folha de S. Paulo. Foi assim em junho de 2005, na primeira entrevista concedida à jornalista Renata Lo Prete, quando ele denunciou uma mesada de R$ 30 mil paga pelo PT a parlamentares, que jamais se comprovou, e também ontem quando ele assistiu à defesa apresentada pelo advogado Luiz Francisco Barbosa, acompanhado da repórter Andréa Sadi, também da Folha, que foi ao seu apartamento, na Barra da Tijuca, no Rio. “Se fosse o Collor estaria preso, mas no Lula não pega”, disse Jefferson à jornalista.

O ex-deputado também afirma não haver contradição entre o que ele dizia em 2005 e o que diz agora. Sete anos atrás, Jefferson apontou suas baterias contra o ex-ministro José Dirceu e disse: “Sai rápido daí, Zé, para não transformar em réu um homem inocente”. Segundo o relato da Folha, Jefferson afirma que, naquele momento, estava de fato convencido do desconhecimento de Lula em relação ao mensalão. Hoje, não mais, disse o ex-deputado, que também falou ao Globo. “Esse banco (BMG) que está denunciado (no mensalão) recebeu tratamento privilegiado do governo. Nunca imaginei essa relação tão íntima. Se eu soubesse disso, jogaria o Lula no chão”, afirmou.

Roberto Gurgel e grandes jornais deram crédito ao ex-presidente do PTB. Hoje, fica claro que sua palavra varia ao sabor dos ventos, dos seus interesses pessoais ou dos seus instintos de vingança. Depois de tudo, fica a dúvida: Jefferson escolheu Dirceu porque nada pega em Lula ou o procurador optou por colocar o ex-ministro da Casa Civil como “chefe de quadrilha” pela falta de coragem em denunciar o ex-presidente?

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email