João Paulo: pesquisa enfraquece adversários

Após a divulgação da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI)/Ibope que aponta uma aprovação de 79% do eleitorado brasileiro à forma da presidente Dilma Rousseff (PT) governar, o correligionário da gestora, deputado federal João Paulo, afirmou que o levantamento diminui as chances de vitórias dos outros presidenciáveis, em um recado claro ao governador e potencial candidato pelo PSB, Eduardo Campos

João Paulo: pesquisa enfraquece adversários
João Paulo: pesquisa enfraquece adversários
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 – Após a divulgação da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI)/Ibope que aponta uma aprovação de 79% do eleitorado brasileiro à forma da presidente Dilma Rousseff (PT) governar, o correligionário da gestora, deputado federal João Paulo, afirmou que o levantamento, mostrando a alta popularidade da petista, diminui as chances de vitórias dos outros presidenciáveis. De acordo com o parlamentar, a chefe do Executivo federal atendeu às demandas da população, em especial as das camadas mais pobres.O recado para o governador de Pernambuco e potencial candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, foi claro.

“Não, acho que não inviabiliza qualquer candidatura. É lógico que está se referindo a uma possível corrida do governador Eduardo Campos (PSB). Mas acho que torna mais difícil uma possibilidade de vitória dele. Contudo, isso não quer dizer que inviabiliza a qualquer um colocar o nome como candidato”, observou João Paulo, ex-prefeito do Recife.

O parlamentar disse, também, em entrevista à Rádio Folha, que Pernambuco cresce economicamente acima da média nacional por conta dos investimentos feitos pelo Governo Federal, tanto na gestão de Dilma como na do seu antecessor, o ex-presidente Lula (PT). “Tudo que Pernambuco é hoje e graças aos grandes investimentos feitos pelo Lula que deu uma atenção especial ao Estado e ao Nordeste. E isso torna qualquer candidato que vai disputar mais difícil a possibilidade de uma eleição”, afirmou.

Por outro lado, o PSB do governador Eduardo Campos não acredita que esta pesquisa tem um peso significativo. O gestor, por exemplo, acredita que é comum pré-candidatos começarem com um percentual pequeno de aprovação. Na avaliação dele, que ainda não definiu se será ou não candidato, mas adota postura de presidenciável, os 90 ou 120 dias antes das eleições são mais determinantes na obtenção de votos por parte dos candidatos porque, nesses dias que antecedem o pleito, o povo tende a se envolver mais em questões de cunho político-eleitoral.

Por sua vez, o pré-candidato do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse que a pesquisa reflete um “sentimento momentâneo”. Resta saber qual o impacto que as próximas pesquisas em 2013 terão junto aos outros presidenciáveis – Campos, o senador Aécio Neves e a ex-ministra de Meio Ambiente Marina Silva (Rede Sustentabilidade, que ainda não foi formalmente criado).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email