José Airton sobre PMDB: 'os ratos pulam na primeira oportunidade'

Em entrevista a uma rádio local, o deputado José Airton Cirilo (PT-CE) fez duras críticas ao PMDB e comparou o iminente rompimento do partido com o Governo a ‘ratos que abandonam o barco na primeira oportunidade’. O coordenador da bancada do Ceará no Congresso disparou ainda contra os parlamentares que ocupam cargos e fazem oposição e questionou as atitudes do juiz Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato

Em entrevista a uma rádio local, o deputado José Airton Cirilo (PT-CE) fez duras críticas ao PMDB e comparou o iminente rompimento do partido com o Governo a ‘ratos que abandonam o barco na primeira oportunidade’. O coordenador da bancada do Ceará no Congresso disparou ainda contra os parlamentares que ocupam cargos e fazem oposição e questionou as atitudes do juiz Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato
Em entrevista a uma rádio local, o deputado José Airton Cirilo (PT-CE) fez duras críticas ao PMDB e comparou o iminente rompimento do partido com o Governo a ‘ratos que abandonam o barco na primeira oportunidade’. O coordenador da bancada do Ceará no Congresso disparou ainda contra os parlamentares que ocupam cargos e fazem oposição e questionou as atitudes do juiz Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará247 - O deputado federal e coordenador da bancada do Ceará no Congresso, José Airton Cirilo (PT-CE), lamentou o iminente rompimento do PMDB com o Planalto e fez duras críticas aos integrantes do partido que comandam o golpe, como o vice-presidente Michel Temer, a quem chamou de “golpista mor”. “ É nesse momento que a gente reconhece o caráter de alguns aliados, que descaradamente se afastam do governo, que passaram vários anos com cargos, no poder, usufruindo das benesses e bajulando o Governo. Mas vendo o barco se afundar, é aquela velha história, os ratos pulam na primeira oportunidade”, disse, em entrevista ao jornal Alerta Geral, da rádio 104.3 FM, nesta terça-feira (29).

Para ele, no entanto, é possível reverter o golpe “porque tem uma reação grande da sociedade que tem responsabilidade com o que estabelece a Lei e a Constituição, porque a presidente não cometeu crime nenhum”, afirmou.

José Airton criticou também os parlamentares que estão dentro do Governo fazendo oposição, assim como os deputados ligados a Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que fazem parte da comissão julgadora do processo de impeachment. “O que me espanta é alguns parlamentares que têm cargo dentro do Governo serem contra a Dilma sem terem entregado os cargos. É muita falta de ética, como também alguns parlamentares que foram financiados e apoiados pelo Eduardo Cunha e estão aí na comissão para julgar a Dilma. Cara de pau! Que moral têm essas pessoas para fazer julgamento?”.

José Airton citou também os interesses partidários do juiz Sérgio Moro, questionando o sigilo no caso da lista da Odebrecht. “Porque ele não abre o sigilo? São 200 políticos denunciados ou pessoas envolvidas na Operação Java Jato. Quantos do PT tem lá dentro? Ele deveria abrir e jogar na rua como ele fez com o Lula e a família toda. Quando ele sabe que envolve pessoas da oposição, ele decide sigilo”. 

Confira a entrevista completa aqui

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247