Josi rebate: “Gaguim tenta desestabilizar o PMDB”

Deputada Josi Nunes (PMDB) abriu fogo nesta quarta-feira, 12, contra o colega de partido, deputado Carlos Gaguim; Josi negou que a Executiva Nacional tenha dado prazo ao presidente estadual da sigla, Derval de Paiva, para restabelecer comissões provisórias formalizadas pela ministra Kátia Abreu; "Todo o acordo com o grupo da senadora Kátia Abreu foi cumprido: 50% do diretório, 50% delegados da Convenção Nacional e 50% da Executiva", afirmou; Josi acusou Gaguim de querer desestabilizar o partido e lembrou que o ex-governador, atual aliado de Kátia, fez campanha contra a filiação da senadora ao PMDB, bem como contra a candidatura de Marcelo Miranda ao Governo do Estado em 2014; "Quando ele viu que não tinha alternativa, teve que se aliar para resgatar sua candidatura", criticou

Deputada Josi Nunes (PMDB) abriu fogo nesta quarta-feira, 12, contra o colega de partido, deputado Carlos Gaguim; Josi negou que a Executiva Nacional tenha dado prazo ao presidente estadual da sigla, Derval de Paiva, para restabelecer comissões provisórias formalizadas pela ministra Kátia Abreu; "Todo o acordo com o grupo da senadora Kátia Abreu foi cumprido: 50% do diretório, 50% delegados da Convenção Nacional e 50% da Executiva", afirmou; Josi acusou Gaguim de querer desestabilizar o partido e lembrou que o ex-governador, atual aliado de Kátia, fez campanha contra a filiação da senadora ao PMDB, bem como contra a candidatura de Marcelo Miranda ao Governo do Estado em 2014; "Quando ele viu que não tinha alternativa, teve que se aliar para resgatar sua candidatura", criticou
Deputada Josi Nunes (PMDB) abriu fogo nesta quarta-feira, 12, contra o colega de partido, deputado Carlos Gaguim; Josi negou que a Executiva Nacional tenha dado prazo ao presidente estadual da sigla, Derval de Paiva, para restabelecer comissões provisórias formalizadas pela ministra Kátia Abreu; "Todo o acordo com o grupo da senadora Kátia Abreu foi cumprido: 50% do diretório, 50% delegados da Convenção Nacional e 50% da Executiva", afirmou; Josi acusou Gaguim de querer desestabilizar o partido e lembrou que o ex-governador, atual aliado de Kátia, fez campanha contra a filiação da senadora ao PMDB, bem como contra a candidatura de Marcelo Miranda ao Governo do Estado em 2014; "Quando ele viu que não tinha alternativa, teve que se aliar para resgatar sua candidatura", criticou (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - A deputada federal Josi Nunes (PMDB) rebateu nesta quarta-feira, 12, as declarações do também deputado Carlos Gaguim (PMDB) sobre prazo determinado pela Executiva Nacional do partido para que o presidente estadual, Derval de Paiva, restabelecesse as comissões provisórias formalizadas pela ministra Kátia Abreu. 

De acordo com a deputada, o diretório nacional a teria informado que não há nenhuma determinação direcionada ao PMDB do Tocantins. Josi acusou Gaguim de tentar desestabilizar o partido. 

"Todo o acordo com o grupo da Senadora Kátia Abreu foi cumprido: 50% do diretório, 50% delegados da Convenção Nacional e 50% da Executiva", afirmou Josi. "Então, eu acredito que isso seja mesmo uma atitude pra desestabilizar o partido. O deputado Gaguim disse que rompeu com o Governo, que não queria cargos na gestão, mas vive cobrando via imprensa. Por que ele não vai até o governador Marcelo Miranda e pede os cargos que ele quer?", questionou.

A deputada relembrou ainda, que Gaguim, hoje aliado de Kátia, fez campanha contra a filiação da senadora ao PMDB, bem como contra a candidatura de Marcelo Miranda ao Governo do Estado em 2014. "Quando ele viu que não tinha alternativa, teve que se aliar para resgatar sua candidatura", criticou.

Sobre a polêmica envolvendo as 51 comissões provisórias criadas por Kátia Abreu, Josi Nunes disse que elas ficaram de ser analisadas pelo atual diretório, uma vez que existiam membros que não eram filiados ao partido. "Na época, eu questionei a Presidente da Comissão Interventora, mas não tive se quer uma resposta. Eu tinha a intenção de judicializar, mas fui convencida por membros do partido a não fazer", afirmou.

Sem citar a ministra Kátia Abreu, Josi Nunes voltou a criticar as dissidências no partido. "A grande questão é que todo mundo que entra no PMDB já quer ser dono. Só esquecem que o PMDB tem caráter democrático, respeita seus membros e não é um partido de aluguel para ser colocado debaixo dos braços", afirmou. "Quero apenas defender o partido e os verdadeiros peemedebistas e não aqueles que querem apenas usar o partido momentaneamente e com interesses próprios", finalizou.

Leia também: PMDB dá prazo a Derval para restabelecer comissões

Derval suspende comissões nomeadas por Kátia

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email