Josi rebate PT-TO: ‘não havia outra alternativa’

Após o presidente do PT-TO, Júlio César Brasil, dizer que membros do partidos se sentiram "traídos" pelas deputadas Josi Nunes e Dulce Miranda, ambas do PMDB, que votaram pelo impeachment da presidente Dilma, Josi enviou nota à imprensa dizendo "entender que é preciso moralizar esse país e respeitar a legalidade. Não tínhamos outra alternativa, e essa foi a saída de emergência, um remédio amargo, mas necessário para tirar o Brasil do caos que se apresenta"; ela também afirmou que não faz sentido dizer que sem o PT, 'Marcelo Miranda (do PMDB) não teria sido eleito'"; ele reforçou que a direção nacional peemedebista decidiu apoiar a abertura do processo de impeachment da Presidente; "Cabe a nos, seguir a orientação da sigla"

Após o presidente do PT-TO, Júlio César Brasil, dizer que membros do partidos se sentiram "traídos" pelas deputadas Josi Nunes e Dulce Miranda, ambas do PMDB, que votaram pelo impeachment da presidente Dilma, Josi enviou nota à imprensa dizendo "entender que é preciso moralizar esse país e respeitar a legalidade. Não tínhamos outra alternativa, e essa foi a saída de emergência, um remédio amargo, mas necessário para tirar o Brasil do caos que se apresenta"; ela também afirmou que não faz sentido dizer que sem o PT, 'Marcelo Miranda (do PMDB) não teria sido eleito'"; ele reforçou que a direção nacional peemedebista decidiu apoiar a abertura do processo de impeachment da Presidente; "Cabe a nos, seguir a orientação da sigla"
Após o presidente do PT-TO, Júlio César Brasil, dizer que membros do partidos se sentiram "traídos" pelas deputadas Josi Nunes e Dulce Miranda, ambas do PMDB, que votaram pelo impeachment da presidente Dilma, Josi enviou nota à imprensa dizendo "entender que é preciso moralizar esse país e respeitar a legalidade. Não tínhamos outra alternativa, e essa foi a saída de emergência, um remédio amargo, mas necessário para tirar o Brasil do caos que se apresenta"; ela também afirmou que não faz sentido dizer que sem o PT, 'Marcelo Miranda (do PMDB) não teria sido eleito'"; ele reforçou que a direção nacional peemedebista decidiu apoiar a abertura do processo de impeachment da Presidente; "Cabe a nos, seguir a orientação da sigla" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Após o presidente do PT-TO, Júlio César Brasil, dizer que membros do partidos se sentiram "traídos" pelas deputadas Josi Nunes e Dulce Miranda, ambas do PMDB, que votaram pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), no último domingo (17), Josi enviou nota à imprensa dizendo que dizendo que "não há golpe" contra a petista.

A congressista disse ter votado "sim ao processo da Presidente Dilma, por entender que é preciso moralizar esse país e respeitar a legalidade. Não tínhamos outra alternativa, e essa foi a saída de emergência, um remédio amargo, mas necessário para tirar o Brasil do caos que se apresenta".

"Reafirmo que Não há golpe! Não somos oportunistas e muito menos aproveitadoras. Infelizmente temos alguns que fazem jus a esses adjetivos, mas este não é o nosso caso. Basta analisar os acontecimentos envolvendo a Refinadora de Pasadena, o famoso Mensalão e as mais de 29 fases das investigações da operação Lava-jato", afirmou.

Segundo o texto, "a coligação formada pelo PT e PMDB e outros partidos, elegeram o governador do Estado Marcelo Miranda e também, a Presidente Dilma Roussef, portanto, não faz sentido dizer que sem o PT , 'Marcelo Miranda não teria sido eleito'".

"É importante ressaltar, que o governador foi eleito  com o apoio de muitos partidos e da sociedade. O PT foi uma parceria importante, mas não acredito que tenha sido o elemento de decisão. Todos os partidos foram e são, respeitados pelo  governador Marcelo Miranda, tanto que o PT participa do governo em áreas decisivas".

De acordo com a parlamentar, "terminadas as eleições, cada partido é soberano em decisões". "Portanto, o meu partido, PMDB, decidiu apoiar a abertura do processo de impeachment da Presidente, cabe a nos, seguir a orientação da sigla. Nunca interferimos nas decisões internas do PT. Minha fidelidade deve seguir a maioria do povo tocantinense e brasileiro, a minha consciência e o meu partido".

Declarações do presidente do PT-TO

Em nota, Júlio César Brasil deixou clara a insatisfação do partido com os voto das deputadas. "Nós do Partido dos Trabalhadores do Tocantins, nos sentimos traídos pelos votos das deputadas Dulce Miranda e Josi Nunes, que preferiram abraçar o golpe, ao invés de ficar do lado do povo e da democracia", diz o texto.

Segundo a nota, "os fascistas, conservadores e hipócritas utilizaram o nome de Deus e de suas famílias para cravar um punhal e ferir de morte a democracia brasileira". "Ironicamente, diziam “Tchau Querida”, se referindo a democracia, a liberdade, a ética e a vontade do povo, demonstrada nas urnas".

"Reafirmamos que o PT do Tocantins participa do governo do Estado, porque ajudou a elegê-lo.  Sem nós, Marcelo Miranda não teria ganhado as eleições. Não estamos neste governo de favor" (leia mais aqui).



 



 

- Por último, deixo claro. Que eu 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247