Jovair: ‘Pressão das ruas não influenciará relatório’

Em entrevista nesta quarta-feira, em Goiânia, deputado federal goiano Jovair Arantes, que será o relator do processo de impeachment na Câmara, disse que relatório será isento; "Vou realizar o relatório com o máximo de isenção possível. Vou deixar as outras denúncias que surgiram contra a presidente depois que o processo foi aberto e também a pressão das ruas a cargo dos deputados que votarão em plenário"; Jovair está no Congresso há cerca de 20 anos e foi aliado fiel do ex-presidente Lula e também apoiou a reeleição da presidente Dilma

Em entrevista nesta quarta-feira, em Goiânia, deputado federal goiano Jovair Arantes, que será o relator do processo de impeachment na Câmara, disse que relatório será isento; "Vou realizar o relatório com o máximo de isenção possível. Vou deixar as outras denúncias que surgiram contra a presidente depois que o processo foi aberto e também a pressão das ruas a cargo dos deputados que votarão em plenário"; Jovair está no Congresso há cerca de 20 anos e foi aliado fiel do ex-presidente Lula e também apoiou a reeleição da presidente Dilma
Em entrevista nesta quarta-feira, em Goiânia, deputado federal goiano Jovair Arantes, que será o relator do processo de impeachment na Câmara, disse que relatório será isento; "Vou realizar o relatório com o máximo de isenção possível. Vou deixar as outras denúncias que surgiram contra a presidente depois que o processo foi aberto e também a pressão das ruas a cargo dos deputados que votarão em plenário"; Jovair está no Congresso há cerca de 20 anos e foi aliado fiel do ex-presidente Lula e também apoiou a reeleição da presidente Dilma (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O deputado federal goiano Jovair Arantes (PTB) será o relator do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT) que corre na Câmara Federal. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, em Goiânia, Jovair ressaltou a importância de sua posição, disse que não vai antecipar seu voto e avisou que as pressões não vão influenciar na formulação do relatório.

"Vou realizar o relatório com o máximo de isenção possível. Vou deixar as outras denúncias que surgiram contra a presidente depois que o processo foi aberto e também a pressão das ruas a cargo dos deputados que votarão em plenário. Sei que ao final terei que me posicionar através do meu relatório e é óbvio que existem pressões de todos os lados mas por enquanto prefiro na emitir minha opinião e apenas fazer o relatório analisando as denúncias dentro da legalidade”, disse.

Jovair sempre foi liderança de peso do PTB no Congresso e foi um dos parlamentares mais parceiros tanto do governo federal, os governo de Lula e da presidente Dilma. Hoje, no entanto, Jovair é homem de confiança do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, que faz oposição ao governo federal.

O parlamentar acredita que foi escolhido para relatoria porque tem experiência de cerca de 20 anos na Casa e possui bom relacionamento com os deputados. 

“Estamos diante de uma discussão efervescente e existe ódio muito grande por todas as partes envolvidas, até pela convulsão social que está acontecendo no país. Então estamos pisando em ovos, realizando nosso trabalho com muito cuidado e responsabilidade”, declarou.

"A Dilma é uma mulher de fibra, que sempre esteve nas lutas populares e está defendendo com unhas e dentes o mandato que foi dado a ela pelo povo, de maneira democrática. Agora, o mandato não autoriza ninguém a estar acima da lei. Se houver provas da ocorrência de crime, então é a constituição federal que define o que se deve fazer”.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247