Jovem negro é chamado de 'macaco' em comanda do Burger King

O estudante universitário David Reginaldo de Paula Silva acusou a rede de lanchonetes Burger King de racismo; David, que é negro, foi a uma unidade da rede na Avenida Santo Amaro, zona sul de São Paulo, no último sábado (24), e ao receber a comanda do pedido viu que na identificação do cliente estava escrito "macaco"; em nota, o Burger King disse "repudiar" o ocorrido e disse que está apurando o caso para tomar "as medidas necessárias"

Logotipo do Burger King em loja no Brooklyn, na cidade de New York. REUTERS/Carlo Allegri
Logotipo do Burger King em loja no Brooklyn, na cidade de New York. REUTERS/Carlo Allegri (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O estudante universitário David Reginaldo de Paula Silva acusou a rede de lanchonetes Burger King de racismo. David, que é negro, foi a uma unidade da rede na Avenida Santo Amaro, em Moema, São Paulo, no último sábado (24) e ao receber a comanda do pedido viu que na identificação do cliente estava escrito "macaco". Dois dias depois do ocorrido ele procurou a polícia e prestou queixa por injúria racial.

O advogado do estudante também avalia ingressar com uma ação cível pedindo indenização contra a empresa me função ad atitude racista do funcionário da loja. Por meio de nota o Burger King disse "repudiar" o ocorrido e que está apurando o caso para tomar "as medidas necessárias".

"Meu aniversário foi dia 19. Saí na sexta para comemorar, e na volta fui com uma amiga diplomata à lanchonete para comer algo. Vi no balcão um cupom de desconto. Fiz um pedido normal. O atendente perguntou meu CPF, nome e anotou. E esperei chamar minha senha. Foi quando vi ao lado da senha o nome 'macaco' e fiquei assustado", contou David ao portal G1.

"O preconceito racial é uma 'doença' que deve ser eliminada da sociedade brasileira. É inadmissível que em pleno século XXI, em 2018, ainda possa acontecer esse tipo de atitude racista", escreveu o jovem em sua conta no Facebook.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247