Jovens convocam escracho em frente à casa do ministro da Educação

Jovens seguem mobilizados para barrar medidas que ameaçam a educação e convocam um escracho à Mendonça Filho (DEM-PE), atual ministro da Educação; a manifestação tem por objetivo denunciar e fazer pressão contra as medidas da agenda do ministério que atacam professores e estudantes; nesta sexta (18), a partir das 16h, os manifestantes se concentrarão em frente à casa de Mendonça Filho, em Recife (PE)

Jovens seguem mobilizados para barrar medidas que ameaçam a educação e convocam um escracho à Mendonça Filho (DEM-PE), atual ministro da Educação; a manifestação tem por objetivo denunciar e fazer pressão contra as medidas da agenda do ministério que atacam professores e estudantes; nesta sexta (18), a partir das 16h, os manifestantes se concentrarão em frente à casa de Mendonça Filho, em Recife (PE)
Jovens seguem mobilizados para barrar medidas que ameaçam a educação e convocam um escracho à Mendonça Filho (DEM-PE), atual ministro da Educação; a manifestação tem por objetivo denunciar e fazer pressão contra as medidas da agenda do ministério que atacam professores e estudantes; nesta sexta (18), a partir das 16h, os manifestantes se concentrarão em frente à casa de Mendonça Filho, em Recife (PE) (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Diante de uma verdadeira Primavera Estudantil, jovens seguem mobilizados para barrar medidas que ameaçam a educação e convocam um escracho à Mendonça Filho (DEM-PE), atual Ministro da Educação. A manifestação tem por objetivo denunciar e fazer pressão contra as medidas da agenda do ministério que atacam professores e estudantes. Nesta sexta-feira (18), a partir das 16 horas, os manifestantes se concentrarão em frente à casa de Mendonça Filho, em Recife-PE.

Desde o anúncio da Medida Provisória que impõe uma reforma no ensino médio, muitas ocupações de escolas, institutos federais e universidades surgiram. De acordo com as entidades estudantis UNE e UBES, já são 152 universidades ocupadas e 581 escolas. Somam-se às reivindicações dos estudantes ocupados, a inconstitucionalidade da PEC do "Teto dos Gastos" e outras medidas que impactam diretamente a educação, como o Projeto de Lei da "Mordaça".

Mendonça Filho assumiu a pasta ministerial assim que a Presidenta Dilma foi afastada e Temer se tornou Presidente Interino. O Ministro sempre se posicionou contrário às políticas públicas dos últimos anos que geraram maior acesso ao ensino superior e se mostra favorável à participação de inciativas privadas no ensino público. Além disso, Mendonça é citado como suspeito de receber propina nas Operações Lava Jato e Castelo de Areia.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247