Jucá: decisão sobre usinas da Cemig será feita no processo de venda

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que o modelo de concessão das usinas da Cemig será decidido detalhadamente no processo de venda, marcada para ocorrer na quarta-feira (27), em leilão na cidade de São Paulo; a companhia ainda negocia em Brasília a possibilidade de ficar pelo menos com a Hidrelétrica de Miranda, uma das quatro usinas da estatal que o governo irá leiloar, uma pauta que, segundo o parlamentar, "não é uma decisão que estamos discutindo"

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que o modelo de concessão das usinas da Cemig será decidido detalhadamente no processo de venda, marcada para ocorrer na quarta-feira (27), em leilão na cidade de São Paulo; a companhia ainda negocia em Brasília a possibilidade de ficar pelo menos com a Hidrelétrica de Miranda, uma das quatro usinas da estatal que o governo irá leiloar, uma pauta que, segundo o parlamentar, "não é uma decisão que estamos discutindo"
O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que o modelo de concessão das usinas da Cemig será decidido detalhadamente no processo de venda, marcada para ocorrer na quarta-feira (27), em leilão na cidade de São Paulo; a companhia ainda negocia em Brasília a possibilidade de ficar pelo menos com a Hidrelétrica de Miranda, uma das quatro usinas da estatal que o governo irá leiloar, uma pauta que, segundo o parlamentar, "não é uma decisão que estamos discutindo" (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que o modelo de concessão das usinas da Cemig será decidido detalhadamente no processo de venda, marcada para ocorrer na quarta-feira (27), em leilão na cidade de São Paulo.

A companhia ainda negocia em Brasília a possibilidade de ficar pelo menos com a Hidrelétrica de Miranda, uma das quatro usinas da estatal que o governo irá leiloar, uma pauta que, segundo o parlamentar, "não é uma decisão que estamos discutindo". "É uma decisão do setor que trata das Parcerias Público Privadas e dos leilões", disse, ao comentar que há aspectos do tema que são questionados na Justiça. "Não há como antecipar qualquer decisão sobre isso". Relato foi publicado no Estadão.

De acordo com o congressista, o governo "tem interesse que Minas Gerais participe com igualdade" de condições ante eventuais concorrentes. "Eu conversei com o governador Fernando Pimentel e parlamentares. O governo (federal) tem todo interesse que Minas participe com igualdade. O governo não pode criar desigualdade sob pena de responder pelo próprio processo de irregularidade do leilão", afirmou.




Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247