Judeus se revoltam contra possível palestra de Bolsonaro para comunidade hebraica em SP

Um abaixo assinado já tem mais de 2.600 assinaturas contra uma possível palestra do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) no Clube Hebraica de São Paulo; documento organizado por um judeu denominado Mauro Nadvorny faz duras críticas ao deputado e pede que a presidência do tradicional clube paulistano reconsidere a ideia; "Bolsonaro representa a extrema direita brasileira e em todas oportunidades em que lhe é permitido falar, explora e ataca as minorias entre as quais, nós judeus, nos encontramos", acrescenta

Um abaixo assinado já tem mais de 2.600 assinaturas contra uma possível palestra do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) no Clube Hebraica de São Paulo; documento organizado por um judeu denominado Mauro Nadvorny faz duras críticas ao deputado e pede que a presidência do tradicional clube paulistano reconsidere a ideia; "Bolsonaro representa a extrema direita brasileira e em todas oportunidades em que lhe é permitido falar, explora e ataca as minorias entre as quais, nós judeus, nos encontramos", acrescenta
Um abaixo assinado já tem mais de 2.600 assinaturas contra uma possível palestra do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) no Clube Hebraica de São Paulo; documento organizado por um judeu denominado Mauro Nadvorny faz duras críticas ao deputado e pede que a presidência do tradicional clube paulistano reconsidere a ideia; "Bolsonaro representa a extrema direita brasileira e em todas oportunidades em que lhe é permitido falar, explora e ataca as minorias entre as quais, nós judeus, nos encontramos", acrescenta (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - Um abaixo assinado já tem mais de 2.600 assinaturas contra uma possível palestra do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) no Clube Hebraica de São Paulo. 

Documento, organizado por um judeu denominado Mauro Nadvorny, faz duras críticas ao deputado e pede que a presidência do tradicional clube paulistano reconsidere a ideia. 

"Impossível ficar passivo ao convite para que Jair Bolsonaro venha ser entrevistado para uma plateia na Hebraica de São Paulo", diz Nadvorny. "Bolsonaro representa a extrema direita brasileira e em todas oportunidades em que lhe é permitido falar, explora e ataca as minorias entre as quais, nós judeus, nos encontramos", acrescenta. 

"Ele é homofóbico, misógino, racista e antissemita por natureza e convicção.  Idolatra a extrema direita neonazista e admira os torturadores da ditadura militar, a qual enaltece em todas as oportunidades", diz ainda o judeu Mauro Nadvorny. 

Clique aqui e leia o texto abaixo assinado na íntegra. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247