Juiz bloqueia contas do presidente da ALE

Decisão do juiz Alberto Jorge Correia de Barros Lima bloqueia R$ 61 mil das contas pessoais do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Dantas (PMDB); ele não cumpriu decisão da 17ª Vara da Fazenda, que mandava recolher ao Tesouro Estadual os valores descontados na fonte do Imposto de Renda (IR) dos servidores do Poder; ação inicial foi proposta pelo  Ministério Público Estadual (MPE), que investiga irregularidades na gestão do Legislativo

Decisão do juiz Alberto Jorge Correia de Barros Lima bloqueia R$ 61 mil das contas pessoais do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Dantas (PMDB); ele não cumpriu decisão da 17ª Vara da Fazenda, que mandava recolher ao Tesouro Estadual os valores descontados na fonte do Imposto de Renda (IR) dos servidores do Poder; ação inicial foi proposta pelo  Ministério Público Estadual (MPE), que investiga irregularidades na gestão do Legislativo
Decisão do juiz Alberto Jorge Correia de Barros Lima bloqueia R$ 61 mil das contas pessoais do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Dantas (PMDB); ele não cumpriu decisão da 17ª Vara da Fazenda, que mandava recolher ao Tesouro Estadual os valores descontados na fonte do Imposto de Renda (IR) dos servidores do Poder; ação inicial foi proposta pelo  Ministério Público Estadual (MPE), que investiga irregularidades na gestão do Legislativo (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE/AL), deputado Luiz Dantas Lima, teve R$ 61 mil bloqueados de suas contas pessoais por não ter cumprido a decisão da 17ª Vara da Fazenda, de recolher ao Tesouro Estadual os valores descontados na fonte do Imposto de Renda (IR) dos servidores do Poder Legislativo. A decisão foi do juiz Alberto Jorge Correia de Barros Lima.

A decisão foi proferida em ação proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE), que investiga irregularidades na gestão da Assembleia. De acordo com inquérito do MP, a ALE/AL vem descumprindo, ao menos desde o ano de 2010, a obrigação de repassar ao Tesouro Estadual os valores referentes ao IR retido dos servidores.

Na decisão, o juiz manteve a determinação de que o Secretário da Fazenda do Estado de Alagoas, George Santoro, não repasse a Assembleia os valores referentes ao IR dos servidores a partir do mês de julho, caso a decisão não seja cumprida pela ALE ainda em junho, ficando os valores à disposição da 17ª Vara.

O juiz também acatou, provisoriamente, até decisão final, os argumentos do vice-presidente da ALE, deputado Ronaldo Medeiros, de que, no período em que exerceu a presidência da Assembleia, não recebeu qualquer deliberação judicial para cumprimento da decisão e que somente foi intimado quando já não exercia o cargo.

Com gazetaweb.com e assessoria

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247