Julgamento do dissídio dos rodoviários será dia 8

O TSE marcou para o dia 8 de setembro o julgamento do recurso do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) contra a decisão do TRT-PE no dissídio coletivo, que aumentou em 10% o salário dos motoristas e dos cobradores de ônibus do Grande Recife; cerca de duas milhões usam diariamente do sistema de transporte de ônibus da região metropolitana

O TSE marcou para o dia 8 de setembro o julgamento do recurso do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) contra a decisão do TRT-PE no dissídio coletivo, que aumentou em 10% o salário dos motoristas e dos cobradores de ônibus do Grande Recife; cerca de duas milhões usam diariamente do sistema de transporte de ônibus da região metropolitana
O TSE marcou para o dia 8 de setembro o julgamento do recurso do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) contra a decisão do TRT-PE no dissídio coletivo, que aumentou em 10% o salário dos motoristas e dos cobradores de ônibus do Grande Recife; cerca de duas milhões usam diariamente do sistema de transporte de ônibus da região metropolitana (Foto: Leonardo Lucena)

Pernambuco 247 – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou para o dia 8 de setembro o julgamento do recurso do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Pernambuco (Urbana-PE) contra a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PE) no dissídio coletivo, que aumentou em 10% o salário dos motoristas e dos cobradores de ônibus do Grande Recife. Cerca de duas milhões usam diariamente do sistema de transporte de ônibus da região metropolitana.

A classe patronal, que oferece reajuste de 6%, recorreu ao TSE alegando o reajuste extrapolou os limites do poder normativo da Justiça do trabalho. No último dia 21, o tribunal acatou o recurso, porém o ministro Barros Levenhagen lembrou que a decisão do tribunal é provisória. Em retaliação à medida do TSE, os rodoviários já realizaram três paralisações em apenas oito dias.

No entanto, cinco dias após acatar o recurso da Urbana-PE, o ministro Levenhagem reconsiderou a decisão e manteve o reajuste salarial da categoria. Como consequência da medida, os pisos salariais dos motoristoas subiram para R$ 1.765,50. Fiscais e cobradores passaram a ganhar R$ 1.141,69 e R$ 812,13, respectivamente.

A categoria também reivindica a manutenção do valor de outros itens, como o vale alimentação, que passaria de R$ 171 para R$ 300, um aumento de 75%.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247