Junho tem queda expressiva no número de homícidios

Ocorrências são as menores desde julho de 2012, apontam dados apresentados pela Coordenação de Análise Criminal do Observatório da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária; na comparação entre janeiro (250 casos) e junho de 2016 (174), o índice de homicídio teve queda expressiva, de 30,40%; houve redução em 10 dos 12 indicadores de alta prioridade, se levado em conta o mesmo período de 2015; vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton destaca êxito de medidas como integração das forças policiais, ações ostensivas, investimentos em inteligência e tecnologia

eliton
eliton (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O Estado apresenta menor número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) desde o ano de 2012, apontam dados apresentados na sexta-feira (1º/07) pela Coordenação de Análise Criminal do Observatório da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSAP).

Na comparação entre janeiro (250 casos) e junho de 2016 (174), o índice de homicídio teve queda expressiva, de 30,40%. São os menores registros dos últimos quatro anos. De acordo com o vice-governador e titular da pasta, José Eliton, a curva criminal descendente em Goiás é resultado de medidas implementadas pela SSAP no combate à criminalidade. Dentre elas estão a integração entre as forças policiais, investimentos em inteligência e tecnologia, além de uma determinação no sentido de repressão a todo tipo de crime praticado no Estado.

A queda acentuada pode ser observada também na comparação entre os meses de maio e junho de 2016, que aponta uma redução de -13,86%. Se comparados junho de 2015 com o mesmo mês de 2016, o resultado configura uma queda de -14,29%. Se a contagem for feita levando-se em consideração apenas os meses de junho desde o ano de 2011, este é o que apresenta melhores resultados entre todos os demais, em cinco anos.

Ainda de acordo com o sistema de dados estatísticos da SSPAP, houve redução em 10 dos 12 indicadores de alta prioridade, levando-se em consideração o mesmo período de 2015. Dentre os crimes mais graves, diminuíram os casos de homicídio, estupro, latrocínio (roubo seguido de morte), furto e roubo a pessoas, furto e roubo de veículos, a comércio e em residência.

O número de tentativa de homicídio, por exemplo, apresentou o menor número de casos para o mês desde o ano de 2011, com um total de 124 ocorrências. Já os casos de furto em residência e comércio, as taxas são as menores desde os anos de 2012 e 2013, respectivamente.

Em comparação de junho de 2016 com o mesmo período do ano passado, os casos de estupro sofreram retração de 17,07%, saindo de 41 casos para 34. Latrocínio, por exemplo, caiu de oito para seis, ou seja, uma queda de 25% de ocorrências.

Um número que chama a atenção é a redução dos casos de furtos de veículos, com um declínio de -39,03%. A diminuição desse tipo de ocorrência é resultado de medidas implementadas pela SSPAP no sentido de reprimir o comércio e receptação de peças oriundas do crime. Somente nos últimos três meses foram fechadas mais de 100 lojas irregulares em Goiânia.

De acordo com José Eliton, é preciso quebrar a cadeia do crime. “A partir do momento em que os criminosos não têm compradores para veículos e peças roubadas ou furtadas, a prática deixa de ser rentável e a consequência é a queda nos casos de roubos e furtos de carros”, ressalta o titular da SSPAP.

Os casos de furtos a transeunte também caíram -17,43%, o que reflete a presença das forças policiais nas ruas. Desde que assumiu a pasta, no final de fevereiro, o vice-governador José Eliton determinou a intensificação de abordagens e bloqueios em todas as regiões do Estado. A Operação Tolerância Zero é um exemplo desse trabalho integrado entre as polícias Civil e Militar.

Grande Goiânia

Contagem dos casos de homicídios dolosos registrados em todos os municípios da grande Goiânia apontam queda de -4,55% em junho se comparado ao mês imediatamente anterior. Os 20 municípios da região metropolitana da Capital apresentaram 63 registros de ocorrências, o que configura ainda uma redução de -19,23% em comparação ao mesmo mês de 2015, quando o número chegou a 78 casos.

Somente na Capital houve retração de oito entre os 12 indicadores de maior prioridade se a comparação for feita com o mesmo período do ano passado. As reduções ocorreram em crimes como homicídio, tentativas de homicídio, estupros, roubo e furto a transeunte, furto de veículo, em residência e em comércio.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247