Justiça condena acusado de desviar dinheiro de contas

Justiça Federal condenou Jeferson Marinho de Morais a seis anos e onze meses de reclusão, em regime semiaberto, por ter angariado cartões e dados bancários de terceiros para uma quadrilha formada para a subtração, mediante fraude pela internet, de dinheiro de contas-correntes; quadrilha atuava nos Estados do Tocantins, Goiás e Minas Gerais, e conseguia dados das contas das vítimas por meio de e-mails infectados com programas espiões que, uma vez instalados no computador da vítima, capturavam quaisquer dados bancários, senhas, contas e dados pessoais dela

Justiça Federal condenou Jeferson Marinho de Morais a seis anos e onze meses de reclusão, em regime semiaberto, por ter angariado cartões e dados bancários de terceiros para uma quadrilha formada para a subtração, mediante fraude pela internet, de dinheiro de contas-correntes; quadrilha atuava nos Estados do Tocantins, Goiás e Minas Gerais, e conseguia dados das contas das vítimas por meio de e-mails infectados com programas espiões que, uma vez instalados no computador da vítima, capturavam quaisquer dados bancários, senhas, contas e dados pessoais dela
Justiça Federal condenou Jeferson Marinho de Morais a seis anos e onze meses de reclusão, em regime semiaberto, por ter angariado cartões e dados bancários de terceiros para uma quadrilha formada para a subtração, mediante fraude pela internet, de dinheiro de contas-correntes; quadrilha atuava nos Estados do Tocantins, Goiás e Minas Gerais, e conseguia dados das contas das vítimas por meio de e-mails infectados com programas espiões que, uma vez instalados no computador da vítima, capturavam quaisquer dados bancários, senhas, contas e dados pessoais dela (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Em consequência de ação penal proposta pelo Ministério Público Federal no Tocantins, a Justiça Federal condenou Jeferson Marinho de Morais a 6 anos e onze meses de reclusão, em regime semiaberto, e 296 dias-multa, por ter angariado cartões e dados bancários de terceiros para uma quadrilha formada para a subtração, mediante fraude pela internet, de dinheiro de contas-correntes. O crime aconteceu em 2005.

A quadrilha atuava nos Estados do Tocantins, Goiás e Minas Gerais, e conseguia dados das contas das vítimas por meio de e-mails infectados com programas espiões que, uma vez instalados no computador da vítima, capturavam quaisquer dados bancários, senhas, contas e dados pessoais dela, iludindo-a por meio de simulação da página eletrônica acessada, idêntica às de várias instituições bancárias.

Os integrantes da quadrilha, então, aliciavam pessoas proprietárias de contas bancárias que aceitavam alugá-las, passando para eles o cartão e a senha das suas contas, sem saber que seu dinheiro seria desviado pela quadrilha.

No decorrer das investigações foi cumprida medida de busca e apreensão na residência do réu, onde foram encontrados documentos como boletos bancários em nome de terceiros, cartões bancários, faturas de contas telefônicas, energia elétrica e água, em nome de diversas pessoas.

A culpabilidade do réu foi considerada grave, especialmente por ter corrompido outras pessoas para aquisição de boletos de pessoas de bem e pela obtenção de contas bancárias de passagem.

O valor de cada dia-multa foi fixado em 1/30 de salário-mínimo vigente à época do fato e devidamente corrigido. Foi comprovado que o réu comandava as ações dos demais envolvidos. Ele teve seus direitos políticos suspensos enquanto durarem os efeitos da condenação, e poderá recorrer em liberdade. (Com informações do MPF)

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247