Justiça dribla Marco Civil e permite a Doria identificar críticos no Facebook

Decisão da justiça paulista permite que o evento ‘Virada Cultural na Casa de João Dorian’, da página ‘Deixe a Esquerda Livre’, previsto para o dia 13 de maio e criado e convocado pelas redes sociais poderia acontecer, mas o Facebook seria obrigado a entregar a identificação das máquinas que organizaram os encontros, os textos e os memes publicados; foi iniciada após o prefeito ter anunciado, mesmo antes da posse, que iria tirar os eventos da Virada Cultural do Centro da capital para o autódromo de Interlagos

 Prefeito João Doria 
 Prefeito João Doria  (Foto: Voney Malta)

SP 247 – A encrenca entre o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e a página ‘Deixe a Esquerda Livre’, no Facebook, não tem fim. O embate jurídico e virtual – que ocorre desde dezembro - entre os advogados do prefeito e a página no Face permanece ainda maior após decisão judicial.

O juiz Fernando Henrique de Oliveira Bolcatti decidiu que o evento ‘Virada Cultural na Casa de João Dorian’, da página ‘Deixe a Esquerda Livre’, previsto para o dia 13 de maio e criado e convocado pelas redes sociais poderia acontecer, mas o Facebook seria obrigado a entregar a identificação das máquinas que organizaram os encontros, os textos e os memes publicados.

No entanto, especialistas afirmam que essa decisão do juiz é contrária ao artigo 22 do Marco Civil, segundo reportagem de Marcos Sérgio Silva, do UOL (leia aqui).

Toda essa confusão ente a página no Facebook e João Doria foi iniciada após o prefeito ter anunciado, mesmo antes da posse, que iria tirar os eventos da Virada Cultural do Centro da capital para o autódromo de Interlagos.

Foi a deixa a para a página ‘Deixe a Esquerda Livre’ no mesmo dia lançar o evento ‘Virada Cultural na Casa de João Dorian com sessão de abraços em Bia Dorian’.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247