Justiça encerra ação contra tesoureiro do PSDB

Processo do mensalão tucano contra Claudio Mourão, tesoureiro do então governador Eduardo Azeredo (1998), foi encerrado por prescrição pela 9ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas; ele completou 70 anos em abril e se livrou das denúncias de peculato e lavagem de dinheiro no esquema de caixa 2 montado na campanha pela reeleição do tucano em Minas; a Justiça já tinha concedido o benefício a outro réu do caso, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia

Processo do mensalão tucano contra Claudio Mourão, tesoureiro do então governador Eduardo Azeredo (1998), foi encerrado por prescrição pela 9ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas; ele completou 70 anos em abril e se livrou das denúncias de peculato e lavagem de dinheiro no esquema de caixa 2 montado na campanha pela reeleição do tucano em Minas; a Justiça já tinha concedido o benefício a outro réu do caso, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia
Processo do mensalão tucano contra Claudio Mourão, tesoureiro do então governador Eduardo Azeredo (1998), foi encerrado por prescrição pela 9ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas; ele completou 70 anos em abril e se livrou das denúncias de peculato e lavagem de dinheiro no esquema de caixa 2 montado na campanha pela reeleição do tucano em Minas; a Justiça já tinha concedido o benefício a outro réu do caso, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia (Foto: Roberta Namour)

247 – A ação no processo do mensalão tucano contra Claudio Mourão, tesoureiro do então governador Eduardo Azeredo (1998), foi encerrada por prescrição pela 9ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas.

Defesa de Mourão foi aceita por ter completado 70 anos em abril. Ele foi denunciado por crimes de peculato e lavagem de dinheiro no esquema de caixa 2 montado na campanha pela reeleição de Azeredo.

Em janeiro, a Justiça já tinha concedido o benefício a outro réu do caso, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247