Justiça solta 10 presos na Operação Boca Livre

A Polícia Federal em São Paulo afirma que foram soltos na madrugada deste domingo 10 dos 14 presos que cumpriam prisão temporária pela Operação Boca Livre, sob determinação da 3ª Vara Criminal de São Paulo; eles estavam detidos desde o último dia 28, quando a PF fez operação que apura desvios de recursos federais em projetos culturais com benefícios de isenção fiscal previstos na Lei Rouanet; de acordo com as investigações, um grupo criminoso atuou por quase 20 anos no Ministério da Cultura e conseguiu aprovação de R$ 180 milhões em projetos fraudulentos

São Paulo - Acusados da Operação Boca Livre, que investiga desvios de dinheiro através da Lei Rouanet, chegam ao Fórum Ministro Jarbas Nobre para prestar depoimento.
São Paulo - Acusados da Operação Boca Livre, que investiga desvios de dinheiro através da Lei Rouanet, chegam ao Fórum Ministro Jarbas Nobre para prestar depoimento. (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - A Polícia Federal em São Paulo afirma que foram soltos na madrugada deste domingo 10 dos 14 presos que cumpriam prisão temporária pela Operação Boca Livre, sob determinação da 3ª Vara Criminal de São Paulo. Eles estavam detidos desde o último dia 28, quando a PF fez operação que apura desvios de recursos federais em projetos culturais com benefícios de isenção fiscal previstos na Lei Rouanet.

De acordo com as investigações da Operação Boca Livre, um grupo criminoso atuou por quase 20 anos no Ministério da Cultura e conseguiu aprovação de R$ 180 milhões em projetos fraudulentos. Boca Livre é uma expressão que significa festa onde se come e bebe às custas de outras pessoas.

O desvio ocorria por meio de diversas fraudes, como superfaturamento, apresentação de notas fiscais relativas a serviços e produtos fictícios, projetos duplicados e contrapartidas ilícitas realizadas às incentivadoras.

Os suspeitos devem responder pelos crimes de organização criminosa, peculato, estelionato contra União, crime contra a ordem tributária e falsidade ideológica, cujas penas chegam a doze anos de prisão.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247