Justiça suspende nova demissão em massa

Mais uma demissão em massa viabilizada pela reforma trabalhista de Michel Temer foi impedida pela Justiça; a 8ª Vara do Trabalho de São Bernardo do Campo suspendeu nesta terça-feira (9) a demissão de 66 professores da Universidade Metodista de São Paulo que haviam sido desligados da instituição em dezembro do ano passado; estudantes e professores afirmam que a instituição estaria passando por um processo de "desmonte"

Justiça suspende nova demissão em massa
Justiça suspende nova demissão em massa

247 - A 8ª Vara do Trabalho de São Bernardo do Campo suspendeu nesta terça-feira (9) a demissão de 66 professores da Universidade Metodista de São Paulo que haviam sido desligados da instituição em dezembro do ano passado.

A decisão da Justiça acata parcialmente uma ação civil pública com pedido de liminar proposta pelo Sinpro ABC (Sindicato dos Professores do ABC), que solicitava a suspensão das demissões e de possíveis novas dispensas; readmissão dos professores demitidos; pagamento dos vencimentos atrasados; abstenção de novas demissões coletivas; e informação nominal de possíveis novos demitidos, além dos motivos para os desligamentos.

Na decisão, a juíza Valéria Pedroso de Moraes apenas não tratou do pagamento de vencimentos atrasados.

Ela solicitou ainda que a mantenedora da instituição informe à Justiça o nome dos professores demitidos e daqueles que possam ser futuramente dispensados, esclarecendo sempre o motivo de cada um dos desligamentos.

A juíza também estipulou multa de 10 mil reais por cada profissional dispensado a partir de agora caso haja novas dispensas coletivas sem negociação prévia com o sindicato.

Estudantes e professores chegaram a afirmar  que a instituição estaria passando por um processo de "desmonte". Segundo eles, professores e coordenadores de todos os campi da universidade tiveram suas horas de trabalho reduzidas.

As informações são de reportagem do UOL.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247