Kátia confirma que não pretende voltar à CNA

Foi o que informou a colunista Eliane Cantanhêde; a CNA e outros setores do agronegócios foram a favor do impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, que se encontra afastada; Kátia também terá que definir em qual partido ficará após manifestar sua posição contrária ao afastamento da petista, enquanto o PMDB, do atual presidente interino, Michel Temer, apoia a renúncia da presidente; como consequência, não teria clima na legenda peemedebista para a senadora

Foi o que informou a colunista Eliane Cantanhêde; a CNA e outros setores do agronegócios foram a favor do impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, que se encontra afastada; Kátia também terá que definir em qual partido ficará após manifestar sua posição contrária ao afastamento da petista, enquanto o PMDB, do atual presidente interino, Michel Temer, apoia a renúncia da presidente; como consequência, não teria clima na legenda peemedebista para a senadora
Foi o que informou a colunista Eliane Cantanhêde; a CNA e outros setores do agronegócios foram a favor do impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, que se encontra afastada; Kátia também terá que definir em qual partido ficará após manifestar sua posição contrária ao afastamento da petista, enquanto o PMDB, do atual presidente interino, Michel Temer, apoia a renúncia da presidente; como consequência, não teria clima na legenda peemedebista para a senadora (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - A senador Kátia Abreu (PMDB-TO) enviou mensagens a membros da Confederação Nacional da Indústria (CNA) informando que pretende voltar à presidência da entidade. Foi o que informou a colunista Eliane Cantanhêde. A CNA e outros setores do agronegócios foram a favor do impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, que se encontra afastada. O julgamento do impeachment deve ocorrer em agosto.

Kátia também terá que definir em qual partido ficará após manifestar sua posição contrária ao afastamento da petista, enquanto o PMDB, do atual presidente interino, Michel Temer, apoia a renúncia da presidente. Como consequência, não teria clima na legenda peemedebista para a senadora.

Uma das declarações mais contundentes da peemedebista em apoio a Dilma aconteceu em maio deste ano, quando Kátia disse ter ficado entristecida com as acusações contra Dilma e que acompanharia a petista "no que acontecer".

“A popularidade vai e vem, mas a dignidade e a honra, se forem um dia, nunca mais retornarão. Tenho orgulho de estar do seu lado, de ser sua ministra, de ter a senhora como presidenta do Brasil. Confio na sua honestidade, no seu espírito público e tenho convicção do legado que a senhora vai deixar para o Brasil”, afirmo Kátia, ela, durante o lançamento do Plano Safra 2016/2017, que vai disponibilizar R$ 202,88 bilhões em recursos para produtores rurais. 

Antes de ser do PMDB, Kátia foi do PFL, do DEM, e do PSD.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247