Kátia: partidos nanicos são usados para extorquir candidatos

Ex-ministra da Agricultura e senadora Kátia Abreu (PMDB) defende mudanças nas regras do sistema político; "Fim das coligações proporcionais. Só elegerá quem tem votos. Segundo ponto é a cláusula de barreira. Partido será obrigada a ter representação em todo país ou estará fora. Terceiro: voto distrital vai permitir eleitor fiscalizar com facilidade o mandato dos seus deputados. Candidato não vai poder fugir da região"; segundo Kátia, essas mudanças reduziriam o número de partidos a oito no Brasil

Kátia: partidos nanicos são usados para extorquir candidatos
Kátia: partidos nanicos são usados para extorquir candidatos (Foto: Moreira Mariz)

Tocantins 247 - A senadora, ex-ministra da Agricultura e Pecuária, Kátia Abreu (PMDB) sustenta que a maioria dos partidos pequenos são usados para extorquir candidatos. A declaração da senadora nesse sentido foi na sua página social do microblog Twitter, na sexta-feira, 22. "Maioria destes pequenos partidos de ocasião são usados para extorquir candidatos. Leilão de partidos para apoio nas eleições".

Segundo Kátia, o Brasil tem hoje 35 partidos registrados e no Tribunal Superior Eleitoral tem mais de 37 em análise. Se aprovados, em 2018 serão 72 para eleições gerais. "O povo ganha com isto?" questiona a senadora.

Para Kátia Abreu, mudanças nas regras da política são urgentes. "Fim das coligações proporcionais. Só elegerá quem tem votos. Segundo ponto é a cláusula de barreira. Partido será obrigada a ter representação em todo país ou estará fora. Terceiro: voto distrital vai permitir eleitor fiscalizar c/ facilidade o mandato dos seus deputados. Candidato não vai poder fugir da região", segundo Kátia.

Para a senadora, essas três mudanças reduzirão os partidos a no máximo oito em todo o País.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247